Prateleira Nacional #06

 

guria_

 

Inspirado na popular série americana America’s got talent, a seção “Prateleira Nacional” do Guria que Lê apresentará os novos talentos brasileiros no campo da literatura. A cada edição um novo autor/ autora terá suas obras apresentadas, bem como o seu perfil e sua carreira literária. Valorize a literatura nacional conhecendo seus autores. Prestigie você também o talento brasileiro!

 

Neste post, tenha o prazer (e a honra) de apresentar uma grande escritora, uma incrível amiga e acima de tudo, uma mente muito criativa. Com vocês, Luciane Rangel!

 

Formar parcerias é uma grande honra. Transformar parcerias em amizade então é uma honra *e um prazer* inestimável. E foi justamente isso que aconteceu comigo, ao conhecer a queridíssima e fofa *e só pra mim e pra Mi, um xuxu de pessoa!* Lucy Rangel. E imagina como meu coração se sentiu ao ter que falar sobre o belíssimo trabalho dela em Guardians – volume 1 (resenha aqui)? Ah, emoção foi forte. Sem contar que esse mundo anime nunca fez parte do “meu” mundo, e graças a Lu, ganhou um lugar de destaque. E para vocês, é com uma grande alegria, que divido um pouquinho da Lu e todos seus Guardians!

 

 

avatar2

 

 

Luciane Rangel faz parte da geração que conheceu e se encantou com a cultura japonesa, que até hoje vem se espalhando por todos os continentes. Aprendeu com a criatividade oriental a desenvolver histórias originais, cativantes e bem estruturadas que logo repercutiram pelos fóruns e sites de relacionamento da web.

Tem 27 anos, cursou Magistério no Ensino Médio, formou-se em Direito e hoje é professora.

 

 

 

Guria: De frente para um espelho, como Luciane Rangel se vê?

Lucy: E a Rê já começa com pergunta difícil! rs Isso de falar de si mesmo é complicado, mas vamos lá: acho que me vejo como uma sonhadora, e alguém que ainda quer viver, ver, conhecer e aprender muito.

 

 

Guria: Como nasceu seu interesse pela leitura? Quando a paixão pelos livros se tornou um desejo de fazer parte deste mundo e por quê?

Lucy: O interesse pela leitura surgiu logo que comecei a aprender a ler, ou talvez até antes. Meu pai é escritor e, como tal, também leitor assíduo, e cresci vendo-o ler, e com a casa cheia de livros. Quando fiz cinco anos e entrei para a classe de alfabetização, ele me presenteou com uma coleção de livros clássicos infantis (alguns guardo até hoje) e sempre comprava para mim gibis da Turma da Mônica e da Disney. Desde então, não parei mais de “devorar” livros.

Porém, de leitora a escritora foi um passo que há até alguns anos nunca imaginava realizar. Comecei a escrever muito por acaso, tive uma idéia e resolvi colocar no papel. Logo comecei a escrever fanfics e crônicas.

 

 

Guria: Escrever é uma arte de transpor sonhos, fantasias e emoções em palavras, e assim, tocar o leitor com algo pessoal. O que você tentou transmitir através de suas palavras?

Lucy: Acho que a lição mais valiosa que pode ser absorvida de Guardians é o respeito e a tolerância. Afinal, é a história de um grupo de doze (treze, com a Sofie) pessoas muito diferentes umas das outras, numa variedade de tipos, etnias, crenças, valores, orientações, opiniões e tudo mais.

 

 

Guria: Guardians é um livro sobre cultura japonesa. Como ocorreu a construção desta ambientação? Qual o papel do universo anime e dos mangás nesta história?

Lucy: Sempre fui uma grande admiradora da cultura japonesa, o que inclui o anime e o mangá. Acho que os japoneses têm uma forma especial de construir seus personagens e elaborar histórias maravilhosas. A ambientação foi uma coisa muito automática, porque na época que escrevi Guardians o meu público-foco era os fãs de anime/mangá, já que antes eu escrevia fanfics destes temas. Foi uma surpresa pra mim quando a história passou a atrair um novo público que não tinha muita familiaridade com a cultura japonesa.

 

O papel desse universo em Guardians vem desde a parte visual (através dos desenhos da Ana Claudia), passando pela ambientação em Tóquio, pelos trejeitos e reações dos personagens (bem características do mangá), até o enredo em si, com os youkais – forte ícone do folclore japonês.

 

 

Guria: O zodíaco é o tema principal do seu livro. Aliar signos e o poder de cada elemento (terra, água, ar e fogo) em meio a um enredo de aventura e suspense, não é algo fácil. Conte-nos sobre a composição de sua história em cima deste tema. Como ele surgiu? Como foi elaborada (pesquisas, experiências pessoais...)?

Lucy: Foi meio por acaso. Eu tinha um esboço de alguns dos personagens na minha mente e precisava de um enredo. Então, veio o estalo: “por que o poder de cada um deles não vem de seu signo?”. O problema é que com isso tive que criar mais personagens do que planejava de início, mas enfim a história saiu. Sempre gostei bastante de astrologia e de observar as características em comum dos indivíduos de cada signo. Porém, a partir daí, comecei um trabalho de pesquisa para estruturar bem o enredo.

 

Ah, outro problema é que, inevitavelmente, muita gente relaciona Guardians com Cavaleiros do Zodíaco rs. Não que eu não admire CDZ (embora nunca tenha sido meu anime preferido), mas eu juro que não teve nada a ver. rs

 

 

Guria: Guardians é um livro de fantasia, porém com um grande senso de realidade, dadas as emoções, questionamentos e atitudes dos personagens. Qual a importância, na sua opinião, de explorar o lado humano?

Lucy: Importância total! Não adianta o enredo ser ótimo, se os personagens não têm história, sentimentos ou personalidade definida. Sou até muito chata com relação a isso, porque acabo alongando demais minhas histórias por querer trabalhar profundamente cada personagem. Cada um deles tem suas qualidades e seus defeitos, assim como condutas que alguns julgariam como certas outros como erradas, porque são humanos. Alguns autores pecam por encher seus personagens com suas próprias opiniões pessoais e valores morais, mas eu me preocupo em não fazer isso. Por mais que, inevitavelmente, cada um deles tenha um pouco de mim, não sou eu que estou ali.

 

 

Guria: Por representar cada signo do zodíaco, o livro apresenta vários personagens. Qual o segredo para desenvolver tramas paralelas sem perder o foco na trama original? Como você conseguiu criar tantos personagens e dar a cada um características (físicas e comportamentais) únicas e singulares?

Lucy: Ah, eu adoro personagens! É a melhor parte da criação de uma história! Mas, realmente, não é fácil trabalhar com tantos de uma única vez, principalmente em cenas com um grupo grande, onde eu sempre relia para verificar se não tinha me esquecido de alguém rs.

 

Mas, Rê, que pergunta difícil! Não sei como consegui rs Uma coisa que eu sinto, e que já vi vários autores falando a respeito, é que os personagens costumam criar vida e vontade própria. Então, acho que posso dizer que a culpa é deles, e não minha rs

 

 

Guria: Quanto às ilustrações, como elas surgiram? Você considera importante caracterizar personagens e cenas numa história? Qual o diferencial de utilizar ilustrações numa publicação?

Lucy: Antes de iniciar Guardians, tive um projeto de mangá, junto a Ana Claudia Coelho e dois colegas nossos. Eu criei um roteiro e eles três fariam o mangá em si. Só que os meninos desistiram, e a Ana não dava conta sozinha. Então sugeri a ela a ideia de fazermos uma história ilustrada, e ela topou, com a condição de que seria uma história pequena. Bem, eu até que tentei, mas Guardians acabou crescendo demais rs.

 

Acho que esse diferencial foi o que ajudou a impulsionar e dar visibilidade a história quando publicávamos na internet. Eu nunca tinha publicado nenhuma história minha – mesmo escrevendo fanfics há alguns anos – era um nome desconhecido e ninguém dava atenção a fic de uma “novata” rs. As ilustrações ajudaram muito nisso, foi um chamariz pros leitores. Além de enriquecer demais a história.

 

 

Guria: No original, Guardians tinha 1000 páginas, mas para a publicação, o livro foi dividido em três volumes. Como ocorreu a divisão da história nos volumes? Quais aventuras e mistérios nos aguardam nestas sequências? E para o futuro, que outros projetos você tem em mente?

Lucy: Guardians foi criado sem qualquer pretensão de virar livro. Postava os capítulos mensalmente em um blog. Após finalizar a publicação e surgir a oportunidade de transformar a história em um livro, me assustei com a quantidade total de páginas. Tivemos que tirar muitos desenhos e, ainda assim, o arquivo era grande demais, completamente inviável para um livro, tanto pelo peso quanto pelo preço final de cada exemplar. A idéia da divisão veio do pessoal da Editora Lexia. A separação dos volumes foi feita por mim com base numa média de número de páginas, e no final de capítulos-chave da história.

 

No próximo volume de Guardians a história ganha mais ritmo e os mistérios do volume 1 serão quase todos revelados. Alguns personagens menos explorados na primeira parte ganharão mais destaque e terá muito mais cenas de ação e luta. Ah, e muito mais romance também. Casais novos formados, alguns triângulos amorosos e, claro, muito mais sofrimento pra Anne (porque protagonista serve pra sofrer, né?! rs).

 

Ainda estou completamente envolvida com Guardians, na organização dos volumes 2 e 3. Então, sem nenhum projeto definido até o momento. Tenho algumas histórias iniciadas e outras já finalizadas, e talvez me foque em alguma delas. Gostaria de publicar um romance romântico, só pra mudar um pouco os ares.

 

 

Guria: Se você tivesse que ser “guardiã” de uma causa, qual seria e por quê?

Lucy: Ah, seria uma chata justiceira a favor dos fracos e oprimidos! Rs

Crianças e animais são o meu ponto fraco. Acho que lutaria por eles.

 

 

Proseando...

  • Literatura é Vida!
  • Quando escrevo Viajo
  • Livros são Mágicos
  • O que mais me inspira Pessoas e situações cotidianas
  • Fecho o livro para Ir pro PC (Vício!)
  • Vai para a cabeceira O que eu estiver lendo no momento
  • Estou folheando A Insígnia de Claymor, da Josiane Veiga
  • Quero na minha estante Muitos livros novos, sempre!
  • Admiro as palavras de Meu pai
  • O gênero literário que mais me empolga Ficção
  • Um livro O Código da Vinci – Dan Brown
  • Um personagem Bridget Jones
  • Um(a) autor(a) Dan Brown
  • Citação favorita: "Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante." (Albert Schweitzer)
  • Tenho o sonho de Chegar ao maior número de pessoas com minhas histórias
  • Guardians é para mim A realização de um sonho.

 

Aproveite o espaço para dizer o que você deseja aos seus leitores:

Agradeço sempre a todo o carinho que recebo dos meus leitores. A melhor coisa que Guardians me proporcionou foi conhecer tanta gente legal, e fazer tantos amigos (como a simpática e talentosa blogueira do Guria ^^).

E para os que ainda não conhecem o meu trabalho, podem descobrir um pouco pelo blog ou pela página de Guardians no Skoob.

Quem quiser pode também me seguir no twitter: @lucyrangel

Um grande beijo pra todos, em especial pra Rê. Adorei a entrevista! =)

 

 

Extra: conhecendo Ana Claudia Coelho, ilustradora de Guardians!

 

201_2030

 

 

Tendo conhecido Luciane através de um site de relacionamentos, Ana Claudia Coelho também trazia desde a infância muita familiaridade com a cultura oriental, interessando-se principalmente pela arte gráfica.

Aos 23 anos de idade, já ilustrou cinco livros infantis e atualmente cursa Faculdade de Arquitetura e Urbanismo.

 

 

 

 

Guria: Como surgiu a ideia para ilustrar Guardians? Você já tinha algum contato com a Luciane ou o contato só surgiu pelo livro?

Ana: Nem um, nem outro! Eu aproveitava o Orkut para procurar pessoas interessadas em formar uma equipe para a produção de um mangá - velho e infinito sonho de quem desenha mangá no Brasil - e acabei me deparando com a Lucy. Eu entrava no Perfil das pessoas e perguntava se desenhava, se estaria interessada em trabalhar comigo. No caso da Lucy, ela respondeu: "Hei! Eu não desenho, mas escrevo!" E daí veio a idéia de adaptar uma história que ela já havia criado para dar origem ao livro ilustrado Guardians, depois que constatamos que a história seria muito longa para um mangá sem equipe! rs Antes disso desenvolvemos juntas uma outra história, breve, para ser o piloto do nosso "estúdio de duas", mas ele parou no esboço, concluído no roteiro, mas não nos desenhos.

 

 

Guria: Dar ‘cara’ a um personagem é um processo muito demorado e requer muita habilidade de quem o faz. Como foi o processo para caracterizar os personagens de Guardians? E qual parâmetro foi utilizado para escolher as cenas a serem ilustradas?

Ana: Primeiramente eu quis respeitar a imaginação da Luciane, porque ela já vinha trabalhando nestes personagens há muito tempo e eles já eram pessoas vivas naquela cabecinha fértil! rs Depois de esboçar os personagens com a idade e características físicas que ela me deu, eu perguntava sobre a personalidade e, assim, alterava um tamanho de olhos aqui, um cumprimento de nariz alí, e aí eles foram tomando forma e força. Mesmo assim, observo que eles continuaram mudando com a produção cronológica das ilustrações e que personagens como Hayato e Sofie, por exemplo, deixaram de ter características comuns no desenho oriental, para ter expressões bem marcadas, definidas, ao final da série.

 

 

Guria: Além de Guardians, que outros trabalhos de ilustrações você realiza? De onde veio o talento e a dedicação necessária para fazer parte deste mundo?

Ana: Desenho desde criancinha e me interessei por animê com Cavaleiros do Zodíaco (clichê rs), quando fui buscar um cursinho para aprimorar a facilidade que demonstrava de desenhar, embora ainda saíssem figurinhas bastante tortas e desproporcionais.


Atualmente não realizo nenhum trabalho como Guardians. Esta publicação, que inicialmente não foi feita com a ambição de chegarmos tão longe (mas que chegou onde chegou pelo incentivo de leitores amigos) foi precedida pela ilustração de uma série de pequenos livros educativos da Editora León Denis, diversos autores. Espero que este gênero de trabalho dê mais frutos para mim, estou negociando com a minha "sócia/escritora/roteirista"! rs Acho que dedicação, insistência e investir tempo é a principal fórmula, tanto para o progresso e desenvolvimento de um dom, quanto para fazer parte deste mundo de produção de um trabalho e da divulgação do mesmo, tão importante quanto. Esta parte do sucesso de Guardians devemos exclusivamente ao esforço da Luciane, vigiando cuidadosamente cada passo deste nosso "filho". Por enquanto estou me dedicando a aprender arquitetura e restauração, outra paixão que sempre tive.

 

 

 

*-*-*-*

 

Lu, sua linda... muito obrigada por fazer parte do Guria. Além de me proporcionar uma excelente leitura e diversão (ainda estou me roendo de ansiedade para ler o volume 2), você me presenteou com a sua amizade. Obrigada por me apresentar o universo anime da melhor forma possível e ter conseguido despertar meu interesse para esse tipo de literatura. Parabéns pela ideia de transformar um mundo mágico em palavras e dividir com nós, as tuas fantasias mais belas. E Ana, muito obrigada por aceitar participar da entrevista, e por dar ‘cara’ as nossa imaginação. Que os Guardians protejam vocês e possam lhes trazer as maiores felicidades possíveis!

 

Espero que você aí tenha curtido conhecer a Lu, tanto quanto eu curti. Como digo, a Luxuxu é bem legal, tchê! Não deixem de ler Guardians e se encantar pelos defensores do nosso planeta!

 

Até mais pessoal!! =**

 

ps: em breve, novis de Guardians aqui! Fiquem ligados!!!

16 comentários:

NikaSanc disse... [Responder comentário]

Gente, eu AMEI essa entrevista!!!
Ainda mais que tem as minhas duas maninhas na história. ADORO!!!
Beijo meninas [-=S

deiare disse... [Responder comentário]

Amei toda a entrevista.
Adorei conhecê-las um pouco mais...
Bjos!!!

Palavras Destorcidas disse... [Responder comentário]

Ah, eu adoro essas colunas onde conhecemos um pouco mais da literatura brasileira atual, além de novos autores. O que foi o caso desse post.

Muito legal conhecer um pouco de quem fica pelos bastidores, né? Sempre compramos um livro, admiramos a arte, mas quase nunca vemos queme stá por trás desse trabalho.

Estive acompanhando suas Caixinhas do Correio (foi por elas que conheci o blog, pois adoro esses vídeos) e depois disso, decidi acompanhar o blog. Você passa uma energia muito legal em seus vídeos. haha

Sucesso com o blog.
Beijos

­Nanda disse... [Responder comentário]

Acabei de ler a entrevista! Muito muito legal e fiquei interessada pela história, parece legal e eu adoro essa coisa de signos e abordada assim, de um jeito fora do comum me interessou mais ainda *-* Adoro essas entrevistas com autores, parece que estamos mais próximas deles! É bem reconfortante, digamos assim, entender o mundo deles um pouco melhor! :D

Adorei! Beeeijos
www.julguepelacapa.blogspot.com

This Gomez disse... [Responder comentário]

Aiii
CDZ foi o primeiro anime que vi, ainda na TV Manchete (minha TV só faltava ser a vapor, tudo bem...) eu era apaixonadaaa e as meninas da sala perguntavam por quê. Eu simplesmente adorava.

Enfim!
Bridget Jones é um personagem marcante. Pessoalmente, tenho grande identificação com ela, até nas sutis trapalhadas de vez em quando =)

Gostei de conhecer mais a Luciane!
Beijoss Rê =*

Thwin_BDB Fotos e Livros Twilight VA disse... [Responder comentário]

Nossa, depois que li a sua resenha já fiquei com vontade de ler 'Guardians'... agora estou com fissura para ler... estou participando do booktour...mas ainda vai demorar pelo que estou vendo... OMG!!!
Adorei as entrevistas do Guria... vc sempre arrasando geral!!!!

Marcia Zanoteli disse... [Responder comentário]

Achei muito boa a idéia de conhecer melhor autores nacionais. Gostei muito das entrevistas!
bjins

Marcia, do blog DOLLHOUSE

http://blogdollhouse.blogspot.com/

Luciane Rangel disse... [Responder comentário]

Ah, Rexuxu, que coisa mais fofaaa! Obrigada pelas palavras, a postagem ficou lindaaaa!
E, como eu já tinha dito, adorei sua entrevista. Suas perguntas são sempre super originais. Adorei a parte da minha sócia-desenhista-amiga Ana Claudia também =)

Agradeço sempre pelo carinho que você sempre tem por mim e pelo meu filhote Guardians. =)

Beijos e cada vez mais sucesso pro Guria!

Mireliinha disse... [Responder comentário]

Poxa, que fofas!
AMEI a entrevista, rê! Ficou muito legal tudinho!

Parabéns pela iniciativa! Adoro a Prateleira Nacional porque evidencia os escritores da casa, e que como Lucy, arrasam!

:***

ÁGUA SANITÁRIA disse... [Responder comentário]

Ahh! Passando aqui só pra deixar mais uma abraço para as queridas Luciane e Ana Claudia. Tenho comentado por aí em alguns blogs e sites, tenho comentado no meu blog. Enfim, tive a honra de tê-las como amigas antes de me tornar fã de seus trabalhos. Já li Guardians volume 1, e aguardo ansioso a continuação da história. E adorei as fotos de vocês aqui. =) Beijo!
E valeu, Guria! Estamos aprendendo a valorizar nossos autores, mas porque eles são bons mesmo! ;)

Paola Scorpio disse... [Responder comentário]

A melhor entrevista que li em muito tempo... (tá, foi a primeira que li nesse blog, mas tinha lido várias outras com a Lucy, e todas pareciam meio iguais entre si)

Guto Fernandes disse... [Responder comentário]

Como sempre boas perguntas, inteligentes e focadas, que fazem a entrevista fluir muito!

Adorei conhecer mais um pouco do que há por trás da Luciane, que escreveu um dos livros que eu mais quero ler em 2011!, e da sua ilustradora, super talentosa - com um traço lindo!

Parabéns as três pelo sucesso que cada uma possui e desejo que este aumente muito mais ainda!
Beijos!!!

Mariska disse... [Responder comentário]

Amei as perguntas e principalmente amei as respostas.
Elas são muito fofas e de muito bom gosto ( hehe)
Quero dizer que amo desenhar e um dia espero ser como a Ana Cláudia.
Super beijos.
@Mariskal

Andreas Richter Weber disse... [Responder comentário]

Grande autora!

αmαndα ツ disse... [Responder comentário]

Nossa! Muito legal a ideia de entrevistar a autora E a ilustradora do livro!
O mesmo parece ser muito bom e já ouvi ótimos comentários em relação à ele!
Espero conseguir ler!
Beijinhos,

Nathi disse... [Responder comentário]

Que legal esse entrevista com a Lucy!!!
Ela é uma fofa!!!
Preciso ler o livro dela!!!
=*

Postar um comentário

 
Guria que lê © 2010 | Desenvolvido por Chica Blogger | Voltar para o topo