Stray - Rachel Vincent


Stray é um livro de fantasia que te apresenta outro universo de personagens. Nada de lobisomens, vampiros, anjos ou seres sobrenaturais conhecidos, apenas gatos. Isso mesmo, G-A-T-O-S! Estranhei esse novo hall de “metamorfos”, mas conforme a estória é apresentada, é impossível não se deixar levar.

Rachel Vincent cria uma nova “onda” de seres sobrenaturais, criando um mundo particular com características singulares. Uma raça que possui o dom de se transformar em gatos, conhecidos como werecats ou shifters (nome da série), não são gatos domésticos e nem felinos de grande porte, mas uma pantera negra (não existem panteras negras, daí o porquê da descrição ser única).

Antes de se aventurar a ler o livro é importante se familiarizar com conceitos básicos que regem a história:

  • Werecats ou shifters – são gatos nascidos, ou seja, humanos que possuem o dom de se transformarem em gatos, por terem origem de outros gatos (herança genética);

  • Extraviados – homens-gatos (quando um gato morde ou arranha um humano e transmite a ele os genes da raça) ou gatos-selvagens abolidos do Orgulho, que vivem isolada e solitariamente em uma área destinada para eles;

  • Orgulho – ordem “governamental” que rege os gatos, basicamente como um Governo, que dita às leis, fronteiros e formas de comportamento aceitáveis para seus membros. Prega a justiça e a ordem em seu território.


Em torno dessa temática que a estória de Stray se desenrola.

Faythe Sanders é uma jovem universitária que fugiu de casa rumo ao Texas há cinco anos, buscando liberdade e uma forma de fazer as suas próprias escolhas na vida. Depois de tanto evitar retornar para Louisiana, Faythe é obrigada a encarar sua família e a enfrentar a dura realidade: seu mundo não é tão seguro como sempre aparentou.

Tentando buscar alternativas para contornar sua origem, Faythe aparenta ser uma garota normal, mas por trás de sua aparência inocente, está uma felina natural, uma gata, membro do Orgulho presidido por seu pai, e umas das poucas gatas da espécie, o que a torna rara e muito importante.

O livro inicia quando Faythe nota a presença de um Extraviado na sua Universidade, um local dentro do Orgulho ao qual é ligada. Estranhando esse fato, Faythe vai atrás do sujeito buscando explicações. Mas depois de ser atacada e conseguir reagir e expulsar o Extraviado encontra-se com Marc, seu ex-namorado e braço direito de seu pai no comando do Orgulho, que está na Universidade para levar-lhe de volta a sua casa.

Contra sua vontade, mas obrigada pela ordem de seu pai, Faythe retorna a fazenda de sua família e cede do Orgulho, onde descobre o real motivo de seu retorno: uma gata do Orgulho vizinho foi seqüestrada por um Extraviado!

Desviando de todas as possibilidades de sucesso, o seqüestro de uma werecat foge a realidade da segurança tão prezada pelo Orgulho, além de atingir o elo mais vulnerável da raça: as gatas são as responsáveis pela procriação da espécie e estão destinadas a casamento e atribuições no Orgulho.

Diante de um cenário terrível, Faythe precisa combater seus medos e desejos, balanceando o futuro que sempre imaginou para si e o futuro que lhe é destinado por natureza. Numa mistura de emoções e sentimentos, Faythe deve descobrir qual rumo tomar com relação ao arrogante Marc, ao sedutor Jace e ao humano Andrew.

Numa trama de aventura e mistério, Faythe terá que provar seu verdadeiro destino e fazer uma escolha que mudará o rumo de sua vida. O destino de sua raça e de si mesma encontra-se ameaçada por um grupo de selvagens com apenas um objetivo: seqüestrar gatas! E qualquer erro, pode levá-la a conseqüências terríveis!

Stray é um livro de ação, com mistério e aventura do início ao fim! Ele fala sobre destino, responsabilidade e os objetivos maiores que temos na vida. A estória mostra a construção da personagem Faythe, o seu amadurecimento e a aceitação de sua natureza. Apresenta os conflitos que tem ao aceitar a si mesmo, ao ter de fazer as escolhas certas e de encarar os sentimentos que nos guiam.

Um livro sobrenatural, sem romances exacerbados, mas digno de uma reflexão do caráter humano, como poucos! Vale à pena ler!

A série Shifters é composta por seis livros (Stray, Rogue, Pride, Prey, Shift e Alpha), com lançamento do último volume previsto para outubro de 2010. Não há previsão de lançamento por aqui.

A autora, Rachel Vincent, é americana e tem 32 anos e é membro do Romance Writers of America. Dotada de uma imaginação fértil, Vincent crê que a cada dia dedicado a literatura, mais dias serão acrescidos em sua vida. Além da série Shifters, Vincent assina a autoria da saga Soul Screamers e de diversos contos, como a coletânea de contos “Imortal: Histórias de amor eterno”, lançado no Brasil esse ano, em parceria com diversos autores de fantasia.


Título Original: Stray
Autora: Rachel Vincent
Ano de Lançamento: 2007
Número de Páginas: 400 páginas
Editora: Harlequin Books
Sinopse: Há apenas oito castas / filhotes de mulheres werecats ... E eu sou uma delas.
Eu me pareço como toda estudante graduada Americana. Mas eu sou uma werecat, uma metamorfa, e vivo em dois mundos. Apesar das reservas da minha família e meu orgulho, eu escapei à pressão de perpetuar minha espécie e criei uma vida normal por minha conta. Até a noite em que um Extraviado atacou. Estive sendo alertada sobre os Extraviados - werecats sem orgulho, constantemente em busca de alguém como eu: mulher, atraente e fértil. O afugentei, mas depois percebi que dois dos meus companheiros brilhantes tinham desaparecido.

Minha avaliação: 
«««««

12 comentários:

Ana Elisa disse... [Responder comentário]

Nossa que legal, muito diferente essa história! E quando vi o nome da autora fiquei pensando onde tinha visto aquele nome, daí no final da resenha eu vi que era do livro Imortal...
Ai Rê, você me deixou morrendo de vontade de ler! Você já leu os outros da série ou só o primeiro?
Amei a resenha
Beijos

disse... [Responder comentário]

Ahhh que bom que te convenci a ler, Ana!!!
Só li o primeiro... não consegui os outros... mas vou tentar comprá-los em inglês.

fran disse... [Responder comentário]

Rêêê ਏϊਓ

Também amoooooooooo esta série..... só tem um probleminha.....
O primeiro livro foi traduzido pela comu traduções de Livros..... foi mara.... acompanhamos a tradução desde o primeiro capítulo e as tradutoras de lá são perfeitas.....
Aí o que aconteceu..... chegou uma galera de uma outra comunidade dizendo que esta série era deles...... isso foi a meses atrás e até hoje não continuaram a traduzir os outros livros (se não me engano já saíram mais 4 outros livros - tô louca prá ler rogue) e não deixam as meninas da comunidade traduções de livros traduzir os outros pra nós....
Infelizmente fica difícil divulgar uma comunidade desta série....pois não temos nenhuma previsão de quando ou se quando vamos continuar a lê-la.

Abç.

'Dani disse... [Responder comentário]

outro livro interessante e q jah está na lista do skoob (q graças à Re já está ficando grande demais uahsuhaauhs)
a autora fugiu de toda essa "modinha" de vampiros e lobisomens criando esse universo diferente, onde pessoas se transformam em gatos...

mas ainda puxando para a natureza rebelde adolescente de fugir de algumas obrigaçoes
auhsuahsuahsuah

=*

'Dani disse... [Responder comentário]

como minha curiosidade sempre foi maior q eu...
acho q vou pular alguns livros e ler esse assim q terminar "desculpa se te chamo de amor" (é nao terminei ainda =/)

ótima resenha como sempre Re... Parabens^^

=*

Karine Marinho disse... [Responder comentário]

Que história estranha, mas eu gostei, fiquei curiosa, tenho me supreendido com os livros que eu não olharia duas vezes ultimamente.
Beijos
Karine Marinho

Nanda Meireles disse... [Responder comentário]

Adoooro autor que tem criatividade. Chega de anjos, vampiros e lobisomens, né? aff
Eu li Wings recentemente e é sobre Fadas, gostei. Vou encarar essa de gatos...
Ai Rê, estou com uma pasta cheia aqui "Indicações de Rê" Dá para parar? rsrs Brincadeira, adoro tuas indicações, tu sabe que somos muito parecidas nisso.
Beijão
Saudade

juliana disse... [Responder comentário]

Não posso vir no seu blog mais ¬¬
Vc fica me enchendo de livros para ler? Como faço, Rê? kkkkk

Adorei o texto. Excelente indicação, como sempre :)

O livro parece ser legal. Tem uma temática diferente, o que já atribui pontos a ele, por fugir da "moda".

Quem sabem em breve, alguma editora brasileira não o trás pra nós, né? ^^

Beijos!

Bianca disse... [Responder comentário]

OK , esse livro está naquela minha lista infinitaaaaa... O.o

Eu ainda vou arrumar tempo e colocar aquela lista toda abaixo!!!hum! hsuahsuahs

Bjbj*

Du disse... [Responder comentário]

tá, é a quarta vez que venho ler a postagem. passou da hora de dizer que ela, como sempre, ficou incrivel.

bj

Jaqueline de Marco disse... [Responder comentário]

Eu adorei esse livro, Rê. Achei a história bem amarrada. E, como você sabe, AMEI o Marc! hehe.
Também fiz uma resenha sobre o livro no Na Prateleira. Depois, se puder, dá um pulinho lá:
http://www.naprateleira.com/2011/02/resenha-shifters-1-stray-de-rachel.html
Um beijão, querida. Fica com Deus! ^-^

Guto Fernandes disse... [Responder comentário]

Achei interessante esse conceito, e a capa ficou bem original na minha opinião. Já estava familiarizado com werecats por conta dos Bastets de Lobisomem: O Apocalipse, mas o de Rachel são bem diferentes em muitos aspectos.

Acho que esta série serviu para dar uma guinada nas publicações focadas em metamorfos já que infelizmente em sua maioria estes são representados apenas por lobisomens e somente como rivais/inimigos de vampiros.

Adorei ler uma resenha antiga da minha guria linda, quase da época em que conheci o blog, e ver o quanto houve a evolução na sua escrita é maravilhoso. Parabéns meu amor... <3

Postar um comentário

 
Guria que lê © 2010 | Desenvolvido por Chica Blogger | Voltar para o topo