A Corrente - Estevão Ribeiro

 

 

 

- Você começou com isso, babaca! Você condenou cinco pessoas. E nem tentem falar... – continua Plínio, imitando o amigo, fazendo uma voz chorosa. – “... Eu não sabia que aconteceria algo assim”. Mas me diz a verdade, Roberto. Se você soubesse que a sua vida dependeria disso, você quebraria a corrente? Página 145

 

 

 

 

 

Roberto sobrevivia de efetuar golpes no meio virtual, e encarava isso como qualquer emprego comum. Sempre conectado com a internet ele recebe dezenas de correntes e spams em seus e-mails e em avassaladora maioria os deleta sem sequer dar atenção a estes. Porém quando uma corrente trazendo uma mensagem peculiar cai em sua caixa de entrada ele sente a vontade de repassá-la para alguns conhecidos, sem saber que naquele instante condenaria sete outras pessoas.

Entretanto Roberto não se vê livre das perseguições de Bruna, o espírito responsável pelas corrente, e suas várias faces atormentadas. Enquanto o hacker sofrer com pesadelos e alucinações seus amigos que receberam o fatídico e-mail e não o repassaram, prolongo assim suas vidas e a corrente, começam a morrer de forma misteriosa e cruel.

 

Quando tive o primeiro contato com a sinopse de A Corrente de Estevão Ribeiro associei o livro a uma versão literária do filme O Chamado. Por conta das semelhanças também senti certo receio, uma vez que não gostei muito do filme, e posterguei a compra do mesmo. Mas esse ano, pouco depois da notícia da publicação do volume na Itália, me senti atraído a adquiri-lo e lê-lo. E lamento muito não ter feito isto antes.

A trama deste suspense nacional recheado de terror em muito pouco lembra a do supracitado filme. Ambos são baseados em espíritos presos a determinadas condições, porém enquanto O Chamado tem a capacidade incrível de lhe fazer dormir, A Corrente mantém o ritmo alucinante desde o seu início até coroar um final surpreendente. Em cada capítulo, que intercalam entre os pontos de vistas dos personagens principais, podemos sentir toda a apreensão que o autor soube colocar desde os momentos em que o protagonista começa a ter seus pesadelos quanto às mortes daqueles que não repassaram à corrente.

Pouco a pouco também vamos sendo apresentados as motivações de Bruna e a ligação que ela possui com Roberto. Neste ponto considerei que o autor foi muito feliz, ao mesclar momentos em que não sabemos se o hacker está alucinando ou passando por aquilo realmente e despejando tensão em meio às cenas. O mesmo também ocorre com os outros destinatários da corrente cujas reações são das mais diferentes ao receberem o ultimato que daria fim a suas vidas.

Outra consideração deve ser feita baseia-se no fato de Estevão não ter caído em nenhuma parte do livro dentro da mesmice, um motivo que eu temia e muito, e criou meios de evitar que certas brechas quanto à corrente pudessem salvar os infelizes que não a repassaram. Variando sempre no nível de apreensão que cada cena necessitava em algumas perdemos o fôlego por conta das descobertas e em outras sofremos de agonia por conta das decisões tomadas pelos personagens.

O livro é de leitura fácil e envolvente, o suspense permeado nas páginas de A Corrente te impele a sempre querer virar a próxima página e ficar a um passo mais próximo do final. A descrição do autor é feita de maneira primorosa, conseguindo um equilíbrio entre os detalhes das cenas e a velocidade delas.

Quanto ao final ele é sem dúvida surpreendente e inteligente. As pontas soltas durante o desenvolvimento do enredo se ligam de maneira interessante ao final da trama e mostram o domínio de Estevão Ribeiro sobre a bela obra que criou. Uma agradável surpresa que me prendeu em sua leitura por algumas madrugadas na companhia de Roberto e seus amigos lutando para sobreviverem mediante o inevitável. Com enredo sólido, envolvente e que desafia a percepção do leitor, A Corrente é um romance de terror que depois de conquistar sua reputação por aqui tem tudo para ser um sucesso fora também.

71058_216169690840_6480306_q[7]

Título Nacional: A Corrente

Autor: Estevão Ribeiro

Ano de Lançamento: 2010

Número de Páginas: 184 páginas

Editora: Draco

Onde Comprar: SaraivaLivraria Estronha

Sinopse:  Em A Corrente, um thriller de Estevão Ribeiro, Roberto Morate é umhacker, uma ameaça virtual que vive de aplicar golpes em desafortunados que não protegem suas senhas. Ao receber um e-mail de uma garota desconhecida, ameaçando-o se não repassar a mensagem, ele ri. Entretanto, em um momento de tédio, resolve dar um susto em alguns amigos e a encaminha para sete pessoas.

Depois, descobre que salvou a sua vida. Só que, para isso, condenou a sua alma e a de todos que receberam a corrente. Agora, Roberto precisa correr contra o tempo e contra a sede de sangue da misteriosa Bruna, que ameaça transformar a ilha de Vitória em um inferno. Poderá Roberto salvar a sua vida e de seus amigos?

Avaliação: << << << << <<

 

DSC02890Por Gutemberg Fernandes! Apaixonado por literatura fantástica, principalmente a vampírica e de Alta Fantasia! Espero que gostem das obras trazidas por mim até vocês!

14 comentários:

Estevão Ribeiro disse... [Responder comentário]

Belíssima resenha sobre o livro, Gutemberg! Obrigado pelas maravilhosas palavras.
Um abraço!
Estevão

Vulcka disse... [Responder comentário]

Aii, meu God... eu nunca repasso corrente nenhuma :S haushasuhsa

O Chamado que tu falou é o filme da Samara? Eu não dormi :S
Aliás, não dormi nem durante nem depois... kk (só eu, eu sei) xD

Então.. ainda não li nenhum livro aterrorizante e fiquei curiosa com relação a este. A ideia é bem interessante... Mas ainda assim vou continuar não repassando as correntes ;D

Juliana disse... [Responder comentário]

Ótima resenha!
Eu tinha visto o livro por aí, já tinha ouvido falar dele, mas nunca havia me interessado. Nunca li nenhum thriller (que vergonha) e tenho bastante curiosidade, A Corrente me chamou bastante a atenção! :D

Beijos!

Ju
http://julianagiacobelli.com

Ann Gominho disse... [Responder comentário]

Adorei a capa do livro, e a história parece ser fascinante.. Nunca tinha ouvido falar no livro e creio que nem no autor.. rsrs Mais um que eu tenho a intenção de adquirir depois... :D

Beijos
Ann .:. anngominho.blogspot.com

Marco Antonio disse... [Responder comentário]

Boa noite!!
Achei muito interessante e envolve um assunto atual..parabéns!!

http://devoradordeletras.blogspot.com/

Brenda Lorrainy disse... [Responder comentário]

Primeiro queria elogiar suas resenhas,porque você escreve realmente bem! Parabéns!!
Bem, eu não tenho muito hábito de ler livros de suspense/terror mas sua resenha me deixou muito curiosa sobre o livro! Só não gostei mt da capa :S

Beatriz disse... [Responder comentário]

Nossa eu amo essa pegada de suspense *-*
Não conhecia o livro, achei a capa macabra :s mais a sinopse me deixou muito muito muito curiosa!

Maryzlane Sarah disse... [Responder comentário]

Gente essa capa é assustadora e ao mesmo tempo fascinante, serio que o livro é meio O Chamado?? Assim como a Vulcka eu MORRI de medo desse filme, e eu também não repasso essas correntes não, medo eterno agora hahahahha

Gaabi Costa disse... [Responder comentário]

A capa desse livro me lembra muito a capa de um filme - que eu agora não lembro o nome, mas enfim. rs
E a sinopse também me lembrou muito de "O Chamado" e eu gosto desse filme. hahaa Prefiro o segundo, mas mesmo assim...
Sua resenha está ótima e foi bem legar saber que um livro nacional vai ser lançado em outro país. Parabéns para o autor!

Nunca acreditei nessas histórias de corrente e, infelizmente, eu não gosto muito de LER coisas desse gênero. Pela sua resenha, parece que esse livro daria um ótimo filme! rs

Beeijo ;*

paros28 disse... [Responder comentário]

Hummmm, diferente de você, eu gostei do livro pela sinopse, mas já tinha esquecido dele na minha lista, mas com a resenha, irá voltar a ter atenção na listinha.

Gostei de saber que o livro não cai na mesmice, e ainda bem que não é igual ao filme kkkkk porque também o odiei.

Como sempre resenha perfeita, maninho!!!!

Estevão Ribeiro disse... [Responder comentário]

Gostei muito da resenha, Gutemberg!
Me sinto honrado com todos os adjetivos dedicados ao livro.
Obrigado por despertar o interesse do pessoal.

Abraço!

Claudia F. disse... [Responder comentário]

Não gosto de O Chamado não.

Um filme sobre essas correntes virtuais, talvez seja interessante. Na vida real, as odeio. rs' Mas deve ser uma história intrigante, misteriosa e assustadora mesmo.
Ótima resenha Gutemberg. *-*

Mika disse... [Responder comentário]

ah, eu já imaginava que a resenha não era da Rê ^^
o Guto já gosta desse tipo de livro, né? acho que nunca li algo assim... ainda to pensando. Só li "A Estrada da Noite" que pode chamar de terror =/

Gisele disse... [Responder comentário]

Nossa..se o livro for meio estilo de O chamado deve ser legal..mais s´o 1º pq o 2º pra mim foi uma droga...
A capa do livro parece bem macabra, mas a história deve ser muito legal e envolvente..fiquei curiosa agora!!!..

bjus

Postar um comentário

 
Guria que lê © 2010 | Desenvolvido por Chica Blogger | Voltar para o topo