Glimmerglass, O Encontro de Dois Mundos – Jenna Black

 

 

 

 

“A verdade nas palavras dela, era difícil de negar, embora fosse isso o que eu tentava fazer há muito tempo. Sempre procurei agir do modo mais natural possível, dadas as circunstâncias, e sempre soube que jamais consegui. Só que nunca quis admitir isso.”

Glimmerglass – O Encontro de Dois Mundos, página 110

 

 

 

Em um mundo, onde magia e tecnologia se encontram, tudo pode acontecer. Dana sabe disso, e com toda a sua história, ir a Avalon parecia ser a coisa certa a se fazer. Mas, ser filha de um pai, que é uma fada, tem lá suas desvantagens... E Dana vai descobrir na pele todas elas! Afinal, ser quem realmente é pode ser incrivelmente poderoso... e perigoso. Essa é a vida de Dana e ela vive entre dois mundos. Bem-vindo a Glimmerglass!

 

Dana Hathaway sempre imaginou o que seria da sua vida se tivesse a oportunidade de viver com seu pai. Com uma mãe alcoólatra, dependendo da sua ajuda constante, ela estava acostumada a mudanças e a tomar a responsabilidade pela sua vida e de sua mãe. Nos poucos momentos de sobriedade ou lucidez, Cathy relatava alguns fatos sobre o pai de Dana, mas esta nunca pode julgar o que era verdade ou loucura do álcool em sua mãe, sabendo apenas que seu pai é membro, de alto cargo por sinal, de Faerie e, bom... é uma fada.

 

Após a humilhante aparição de sua mãe no recital da escola, Dana resolve largar tudo e ir à busca de seu pai em Avalon, a fantástica cidade onde a magia realmente existe. Com o apoio de seu pai, Dana embarca para a Inglaterra pronta para viver uma vida mais normal possível e longe dos problemas que sua mãe lhe causa. Mas a sua chegada não sai como esperado, e mesmo abandonada no aeroporto, Dana vai a Avalon para encontrar seu pai. Porém, o que a espera por lá está longe de serem os braços acolhedores de sua família. Numa estranha reviravolta da vida, Dana se vê aprisionada pelas ambições políticas que a cercam, incluindo sua própria tia e chefe da fronteira de Avalon, Grace, e a disputa pelo cargo de Cônsul entre os seelie e unseelie.

 

Com o pai preso, o passaporte retido por sua tia, com uma queda – nada – atraente pelo belo e poderoso Ethan, e Kimber a quem chamar de ‘amiga’, mas sem saber em quem realmente confiar, Dana percebe que a vida ao lado de sua mãe era muito mais segura e feliz. Entre aventuras, fugas alucinadas, ataques constantes e uma revelação incrível, ela percebe que nunca poderia fugir de quem verdadeiramente é – uma adolescente nada comum e a principal ‘arma’ na política de Avalon.

 

Ao descobrir ser uma Fariewalker (uma pessoa rara capaz de transitar entre os dois mundos “Glimmerglass” – humano e mágico -, levando a magia ao mundo humano e a tecnologia à cidade mágica de Faerie), e que há alguém querendo mata-la, Dana luta para manter o controle de sua vida de volta, desejando voltar para sua casa nos EUA, mesmo sabendo que para permanecer viva deve continuar em Avalon. Agora, entre dois mundos, Dana tem a certeza de que nada voltará a ser como antes, mesmo que tudo o que mais deseje seja ser normal... mesmo que para isso, precise lutar!

 

 

“Eu vim para Avalon em parte para que alguém cuidasse de mim, para eu ser a criança que nunca tive a chance de ser. Engraçado como agora que eu podia, eu só queria ter as rédeas da minha vida de volta em minhas mãos.”

Glimmerglass – O Encontro de Dois Mundos, página 14

 

 

Antes que você me pergunte, vamos ao uma rápida explicação: Avalon é a única cidade no mundo onde realmente existe magia! Isso porque Avalon faz divisa com Faerie, o mundo mágico onde vivem seres fantásticos e detentores da magia. O pai de Dana é um influente ‘político’ de Faerie, fazendo parte da nobreza daquela civilização. Por incrível que parece, Seamus, pai de Dana, é uma fada e doou a ela o necessário para ser um ‘ser’ especial, por este fato, e pela dificuldade em nascerem crianças meio humanas meio faeries, Dana é tão cobiçada no mundo da magia. Mas, como toda civilização, há ‘partidos’ em Faerie, e cada qual, tem suas ambições, como o lado aparentemente bom, os seelies (partido do pai de Dana), e o lado nem tão bom assim, os unseelies (já que nem todos os seres deste lado são ruins!). Complicado? Nem tanto.

 

A história por detrás de Glimmerglass, como deu para perceber, é muito complexa. Jenna Black merece os parabéns por criar um mundo totalmente diferente do que já havia sido apresentado na literatura (que até o momento eu tive acesso). Toda a criação, descrição e complemento desse universo proveu um ar misterioso a narrativa, já que grande parte dos detalhes sobre Faerie e sua história são apresentados no decorrer do livro. No entanto, para desconhecidos da história, como eu, que pegou o livro para ler sem imaginar o que encontraria, é, na verdade, um ponto negativo. Isso porque o livro cai de paraquedas na história de Faerie e a existência desse mundo paralelo da magia ao mundo humano, o que pega o leitor desavisado e deixa desconfortável com a narrativa, pois necessita de certo desenvolvimento nela para todo esse enredo fazer sentido. Em contra partida, essa ‘aquisição’ lenta dos conhecimentos a cerca de Faerie tem seus ganhos, já que algumas cenas adquirem um ar mais ‘sombrio’ graças a essa carência, bem como, outras partes são enriquecidas pelos detalhes da vida em Faerie e da existência das ‘castas’ – seelie e unselie.

 

A narrativa transcorre na apresentação de Dana à vida em Avalon, onde, na verdade, não consegue vivenciar nada, já que em sua chegada se depara com Grace e sua suposta ‘acolhida’ na forma de sequestro. E outro sequestro, na forma de resgate, vem em seguida e a convivência com Kimber e a atração por Ethan tomam conta de grande parte da narrativa. Deste ponto em diante, o livro se desenvolve com mais rapidez, com histórias paralelas, enigmas e com a inserção de personagens novos. Sem contar as reviravoltas e mudanças no rumo da história, que te fazem repensar tudo acerca do que está acontecendo com Dana. E ao longo do livro, alguns mistérios do passado, como o porquê de Cathy beber e ter evitado o contato de Dana com Seamus, entre outros fatos atuais, sobre a estranha ameaça de morte que Dana enfrenta, são revelados.

 

As personagens são o fator principal para o atrativo da história, já que, apesar da história de fundo ser acerca do dom de Dana, as personagens atuam de forma direta sobre a vivência dela em Avalon. Há a tia Grace, que não esconde sua maldade em nenhum momento; Kimber, a princesa de gelo, mas incrivelmente aberta e amigável; Ethan, poderoso e arrogante, que apesar de distribuir charme, demonstra ser terrivelmente encantador; Finn, o guarda-costas, mas fiel amigo; Keane, o petulante e interessante lutador; e Seamus, o pai esnobe, decidido e zeloso pelo bem-estar de Dana.

 

Como toda protagonista, Dana não está livre das decisões estúpidas e inconsequentes, mas chama a atenção por não lamentar o que a vida lhe deu, mas tirar das adversidades as forças para lutar pelo que quer, sendo ‘corajosa’ a sua maneira. Mesmo desejando ser livre de responsabilidade e viver a vida sem as obrigações de cuidar de alguém, mas ser cuidada, Dana não faz o estilo ingênua e muito menos, submissa, e logo, ela vai a busca de fazer da vida o que bem lhe entende, para proteger a si e a aqueles que ama.

 

Mesmo tendo inicialmente considerado o livro infantil, o próprio desenvolvimento da história distorceu essa imagem, com cenas de ação e de romance – aquecido, mas não hot. Com uma diagramação simples e uma narrativa com uso de trejeitos corriqueiros, a história, mesmo densa em construção, é leve na forma como é apresentada e trazida ao público, já que possui passagens que beiram ao humor e a suavidade que uma leitura jovem exige. Sem esquecer que a capa é, sem sombra de duvida, fantástica!

 

Ufa, acho que falei demais! Mas como já ficou claro, Glimmerglass é uma grande aposta para um novo tema sobrenatural, com todo o seu encanto de magia e seres fantásticos. Apesar de chegar a considerar cansativa a narrativa, o livro ganhou pontos com o seu desfecho – um tanto inesperado e com suas reviravoltas – e pelos seus personagens cativantes, como o quarteto Kimber, Ethan, Finn e Keane (mesmo com a pequena participação, é a minha aposta para o próximo volume da trilogia – que leva o nome de Faeriewalkers -, Shadowspell). Uma ótima pedida para quem deseja renovar a sua lista de seres sobrenaturais e que procura de uma leitura boa e diferente (no bom sentido). Eu gostei e você?

 

71058_216169690840_6480306_q    facebook_logo

 

Título Original:

Título Nacional: Glimmerglass – O Encontro de Dois Mundos

Autora: Jenna Black

Ano de Lançamento: 2011

Número de Páginas: 296 páginas

Editora: Universo dos Livros

Onde Comprar: Editora – Saraiva – Submarino

Sinopse: Dana Hathaway ainda não sabe, mas vai acabar se metendo em apuros quando decide que é a hora de fugir de casa para encontrar seu misterioso pai na cidade de Avalon: o único lugar na Terra onde o mundo real e o mágico se cruzam. No entanto, assim que Dana põe os pés em Avalon, tudo começa a dar errado, pois ela não é uma adolescente comum – ela é uma faeriewalker, um indivíduo raro que pode viajar entre os dois mundos e a única pessoa que pode levar magia ao mundo humano e tecnologia a cidade de Faerie. . Não demora muito e Dana envolve-se no jogo implacável da política do mundo da magia. Alguém está tentando matá-la, e todos parecem querer alguma coisa dela, desde seus novos amigos e da família até Ethan, o lindo garoto com poderes fantásticos com quem Dana acha que nunca terá uma chance… Até ter uma. Presa entre esses dois mundos, Dana não sabe bem onde se encaixa ou em quem pode confiar, muito menos se sua vida um dia voltará a ser normal.

Avaliação: ««««

16 comentários:

Vulcka disse... [Responder comentário]

Uma nova Avalon... Tia Marion Zimmer Bladey sempre me ensinou que Avalon era o lugar além das Brumas onde viviam as sacertotisas da Deusa.
hihi! Amo!

Nathi disse... [Responder comentário]

A capa de Glimmerglass é linda de morrer.
Com um novo tema sobrenatural, porque os demais já estão um pouquinho batidos.
Espero ler em breve.
A pai de Dana me parece uma pessoa boa.
Só que estou com medo disso que você disse sobre para quem não conhece a história, você "cai de paraquedas" no meio da história.
Mas de qualquer forma sua resenha só me deixou vontade de ler o livro.
=*
Nathi Mota.
http://nathieseuslivros.blogspot.com/

c8ris disse... [Responder comentário]

a capa é linda ^^ e essa historia com fadas me chamou muito a atençao ^^ quero ler

Laiara Martins disse... [Responder comentário]

Literatura fantástica é o que há no momento...
Gosto de livros que criam um mundo totalmente novo... tem que ter muita criatividade pra fazer isso (coisa q eu não tenho e aprecio muito quem tem)
sua resenha tá ótima, precisa nem falar...
Também fiquei com medinho da "queda de para-quedas"....
Mas mesmo assim, os outros pontos da resenha me deixaram com vontade de ler o livro....
bjusss!!!

Guto Fernandes disse... [Responder comentário]

Achei interessante a união do conceito tradicional de Avalon (um lugar entre dois mundos) com a modernidade e seus problemas! \o/

Essa parte mais ligada a jogos políticos dentro da história deve ser um diferencial bom, por fugir um tanto do que se vê por ai na maioria dos livros YA. E ainda mais agora que as fadas estão entrando com força total no mainstream literário!

E é meio estranho pra mim usarem o termo fada para personagens do sexo masculino :S Creio que se tivessem usado Silfo teria ficado menos deslocado... rs

Essa questão do livro não apresentar tudo de uma vez a respeito de Faerie é bem ambígua mesmo, acho q esse suspense sombrio por conta das brechas de conhecimento podem ser um atrativo para a leitura, mas talvez também possam prejudicar a ambientação em alguns momentos.

Adorei a resenha, minha linda!! Ficou ótima!! Um livro que merece ser lido, principalmente pelo ponto alto de não termos uma mocinha chata e tapada! Beijos e parabéns!!!

Nath Lambert disse... [Responder comentário]

Adorei a resenha! A capa do livro é super mágica *~*' porém dessa autora eu queria ler Dark Descendant :T parece ser tão bom!!

Deixei uns selinhos para você no meu blog, passa lá e pega!
www.nerdrockergirl.blogspot.com

Aline Coelho Cury disse... [Responder comentário]

Adorei seu blog e já estou te seguindo seja bem vinda a me visitar e gostando me seguir ok =) ótimas leituras!!!

Luiza disse... [Responder comentário]

Esse livro tá na minha lista de desejos. Acho que vou gostar dele. Sua resenha está ótima, gostei mesmo. Se não for incômodo, gostaria de deixar meu blog para quem quiser dar uma olhadinha e quem sabe gostar: www.encantadospelaleitura.blogspot.com

Bruna M. Silva disse... [Responder comentário]

Oi Rê, esse livro é muito desejado por mim, mas você mostrou alguns pontos preocupantes hein, do tipo a narrativa ser meio cansativa.
Mas mesmo assim eu ainda estou louca para ler este livro!
Adorei sua resenha!

Beijos

Adriana disse... [Responder comentário]

Essa capa realmente é tão linda, que dá vontade de comprar só por causa dela!!! A história parece legal sim, e ele não é um livro tão grande, achei a resenha muito boa, mas ainda fico na dúvida pq já ouvi os dois extremos em relação à esse livro! Acho que vou ter que ler pra tirar minhas próprias conclusões! Bjinhos!

Gisele disse... [Responder comentário]

Ai a capa desse livro é totalmente maravilhosa!!!!!!
A história tb eh linda...mágica e cheia de aventuras..quero ler em breve esse livro!!!!!!

bjus

bibs disse... [Responder comentário]

fiquei bem interessada no livro!
estou numa boa fase com fadas, se bem que não consegui terminar hex hall ainda rsrs
adorei a resenha =) já tá na lista

beijos
bibs

Ká Guimaraes disse... [Responder comentário]

Eu amei este livro Rê, quero a continuação dele urgente kkkk Otima resenha gatora rsrs

bjkss
Ká guimaraes

Talita Camargo disse... [Responder comentário]

Olha só! que resenha consistente!! Parabéns!!! :)

Luiza disse... [Responder comentário]

Eu vi esse livro faz muito tempo, e gostei dele quando vi, mas depois nunca ouvi mais falar dele e nem vi ele em nenhuma livraria. Gostei muito sua resenha, parabéns !!!! Quero ler Glimmerglass sim, e espero que eu goste (eu acho que eu vou gostar, dificilmente eu não gosto de um livro).

NathyPookye disse... [Responder comentário]

Nossa, qndo li a sinopse do livro ja disse "UAU"! depois desssa resenha tenho q ler esse livro, além de parecer uma história fantásticaa capa é LINDA!!!

Nathy Pookye @NathyPookye

Postar um comentário

 
Guria que lê © 2010 | Desenvolvido por Chica Blogger | Voltar para o topo