As Aventuras do Caça-Feitiço: O Aprendiz - Joseph Delaney

 

 

 

Thomas Ward é o sétimo filho de seu pai, por sinal, também sétimo filho de sua família, e desde seus primeiros anos de vida tem uma percepção diferente do mundo. Aterrorizado por visões de sombras, que são resquícios de almas, e fantasmas, ele nunca teve uma vida muito tranqüila na fazenda de sua família. Além de tudo, por ser o filho caçula de uma família com outros seis filhos, o seu ofício para a vida adulta ainda é incerto; pois uma vez que a propriedade da família é herdada pelo primogênito e para os outros filhos são gastos favores com o açougueiro local, padeiro, ferreiro e entre outros.
 
 
Mas o pai de Tom, como Thomas é mais conhecido, já se aproveitou de todos os favores que poderia pedir e o único caminho para o garoto se acertar na vida é se tornando um aprendiz de Caça-Feitiço. Futuro esse que fora garantido por sua própria mãe na ocasião de seu nascimento a John Gregory, o Caça-Feitiço do Condado. Sendo um homem soturno, de aparência castigada e velha, John provoca arrepios em Tom logo que estes se encontram pela primeira vez.

E o ofício que está para ser aprendido por Tom não tem uma fama melhor. Vistos com maus olhos por todos e sendo vítima de uma série de insultos, ser um Caça-Feitiço envolve caçar ogros e bruxas, se livrar de espectros e fantasmas além de outras formas que as trevas possam adquirir. Uma carreira que exige fibra tanto física quanto mental de seus aprendizes e é com isto que John Gregory põe Tom à prova antes de seu treinamento começar de fato.
 
 
Joseph Delaney em “As Aventuras do Caça-Feitiço” conseguiu unir dois pontos interessantes em uma história: a fantasia e o suspense. Embora o livro não possa ser assustador ou causar medo ainda sim por vezes somos surpreendidos com algumas descrições que nos causam um pouco de agonia (rs). Tendo sido escrito para ser uma obra infanto-juvenil temos todas as características que consagraram esse gênero presentes no livro: protagonista adolescente que se vê de uma hora para outra imerso em um mundo que antes desconhecia, enfrentando perigos que sequer imaginava; criaturas fantásticas como bruxas malignas e ogros, que diferentes do conceito normal são mais como espíritos ora brincalhões ora mal-encarados.
 
 
A história se passa em um mundo que ao mesmo tempo possui elementos e locações criadas pelo autor como algumas que se assemelham com a nossa realidade. No livro, frequentemente temos citações sobre a Grécia e também uma forte presença da influência da Igreja sobre os habitantes, como na Idade Média. Isto faz com que estes vejam quaisquer pessoas que tenham contato com coisas inexplicáveis como servas das trevas (mesmo aqueles que se empenham em combatê-las como o Caça-Feitiço). E este é outro ponto interessante abordado em “O Aprendiz”, primeiro volume da série.
 
 
Por terem esse estigma os Caça-Feitiços são desprezados e evitados pelos outros, por correrem grandes riscos e viverem viajando não podem se dar ao luxo de possuir amigos ou família o que inevitavelmente ocasiona nestes uma solidão. Em alguns pontos o próprio protagonista, Tom, que também é o narrador do livro, sente esse impacto em sua vida de aprendiz e se pergunta como será o seu futuro ao alcançar a idade de seu mestre. Uma boa jogada do autor, que no faz encarar um medo que todo ser humano possui, independente de admitir ou não senti-lo.
 
 
Quanto aos personagens pode-se notar uma criação diversificada, com personalidades fortes e motivações interessantes. Alguns que merecem destaque neste primeiro livro são: John Gregory, que durante todo o transcorrer da história ostenta uma carranca e além de por vezes ser um tanto cruel, mas que no fundo se preocupa com Tom; Alice, uma das responsáveis pelas confusões que se desenrolam neste primeiro volume e em outros também, é uma das mais carismáticas criações de Delaney na história, sendo por vezes vista como heroína e às vezes como vilã; a Mãe de Tom, cujo nome, assim como de outros membros da família, a exceção do irmão mais velho, Jack, não são revelados, que possuí um passado permeado por mistérios além de estranhos dons; e é claro nosso protagonista Tom, que em muitas partes do livro me fez sentir vontade de esganá-lo dadas as escolhas que o mesmo faz.
 
 
Para mim “As Aventuras do Caça-Feitiço” foram apresentadas em meados de 2009, com uma amiga falando a respeito do primeiro livro “O Aprendiz”. Confesso que pela descrição exagerada dela imaginei que fosse me deparar com um escrito que permeasse terror e fantasia. Bem, acabei por me enganar de maneira terrível, mas não posso dizer que me arrependi ou me decepcionei com a obra. Pelo contrário, foram páginas de uma leitura muito agradável, divertida com momentos nos quais eu ria das trapalhadas de Tom ou dos comentários hilários, às vezes ácidos, de Alice.

Quanto a edição nacional de "As Aventuras do Caça-Feitiço" temos um trabalho muito bem feito de tradução, revisão e diagramação. A arte envolvida no livro também é muito primorosa. A capa, que pode não ser tão expressiva quanto a edição original, tem detalhes que lembram um antigo grimório (livro de magias) como se fosse feito de couro; em sua contra-capa há uma inscrição interessante que diz "não deve ser lido à noite" que ajudou a aumentar as minhas expectavivas sombrias com relação a história. E por dentro do livro, no ínicio de cada capítulo há uma ilustração pequena que representa alguma passagem do texto por vir.

Leitura altamente recomenda para quem quiser aproveitar uma tarde de domingo com um livro fácil de ser lido e que proporcione boas risadas assim como tensão na medida certa.




Título Original: The Spook’s Apprentice
Título Nacional: As Aventuras do Caça-Feitiço – O Aprendiz
Autor: Joseph Delaney
Ano de Lançamento: 2008
Número de Páginas: 224 páginas
Editora: Bertrand do Brasil
Onde Comprar: Buscapé - SaraivaSubmarino
Sinopse: Thomas Ward é o sétimo filho de um sétimo filho e se tornou aprendiz do Caça-Feitiço. A missão é árdua, o Caça-Feitiço é um homem frio e distante, e muitos aprendizes já fracassaram. De alguma forma, Thomas terá de aprender a exorcizar fantasmas, deter feiticeiras e amansar ogros. Quando, porém, é enganado e cai na armadilha de libertar Mãe Malkin, a feiticeira mais malévola do Condado, tem início o horror... e uma grande aventura 
Minha avalição: ««««

 

 

Meu nome é Gutemberg Fernandes, ou para os íntimos Guto. Sou fã de literatura fantástica, principalmente épica ou medieval, além de contista nas horas vagas. No Guria irei trazer para vocês um pouco deste universo de cavaleiros e dragões, espadas e magia. Espero que gostem.

9 comentários:

bibs disse... [Responder comentário]

eu já ia dizer "isso tem cara de resenha de outra pessoa" xD dito e feito!
nossa, já tinha visto a capa do livro várias vezes mas não tinha parado pra procurar uma sinopse ou resenha. parece ser um bom livro pra passar o tempo mesmo, deu vontade de conferir ;)
estou feliz por ver suas resenhas aqui Guto!!! tratando do meu gênero mais querido! parabéns pela resenha

beijos
bibs

Nine Stecanella disse... [Responder comentário]

Guto e Rê!

Só pelo estilo da capa me deu vontade de ler. Adoro coisas nesse estilo. E como o Guto escreveu ali em cima, também tenho tendência a subestimar alguns livros e depois me arrependo horrores por demorar tanto pra ler. Assim que minha lista de leituras diminuir, já tenho uma nova começando.

Ótima dica.


Beijão!
@nine_stecanella
http://janinestecanella.blogspot.com/

c8ris disse... [Responder comentário]

realmente uma otima resenha
me intrerresou muito

UnTi disse... [Responder comentário]

Difícil fazer comentários sobre esse livro sem cair em spoilers, por isso me agarro mais na estrutura. Ele é contado em primeira pessoa com uma riqueza de detalhes imensa, que te faz esquecer que há outras personagens no resto do mundo, sendo para lá de suficiente a visão da personagem/narrador.

O mais legal disso tudo é que, na minha mais que humilde opinião, a série do Caça Feitiço ela é dotada de poucos mistério (digo isso superficialmente, não me matem xP), poucas reviravoltas épicas, poucas vezes o que era passa a não ser e o que não era, passa a ser. Ele é mais linear e descontraído do que outros títulos semelhantes (como Percy Jackson, pra ficar em um exemplo conhecidíssimo).

No geral, o livro é uma grande causa -> consequência, tudo o que acontece era possível, até certo ponto previsível e, mesmo assim, brilhante. Essa "simplicidade" (e digo novamente de forma superficial, não me matem) é uma das características mais louváveis dessa série. Além, é claro, dos personagens EXTREMAMENTE interessantes, do universo EXTREMAMENTE rico e dos aspectos de grotesco que permeiam a narrativa. Mas aprofundar nesses aspectos seria spoiler, e são detalhes mais gostoso de se ler no livro do que num comentário de resenha (que está ótima, por sinal)... =D~

Vivi disse... [Responder comentário]

Tenho muita vontade de ler este livro e já não é de hoje, agora deu mais ainda.

Re te linkei em um MeMe, espero que goste.
http://www.filmeslivroseseries.com/2011/04/meme-marcados.html

Beijocas

Vivi
Filmes, livros e séries

Vulcka disse... [Responder comentário]

" Embora o livro não possa ser assustador ou causar medo ainda sim por vezes somos surpreendidos com algumas descrições que nos causam um pouco de agonia "

Agonia? Olha que eu sou ultra cagona... não vai me recomendar um livro que vai me tirar o sono, hein?!! ahsuhasha

Maryzlane Sarah disse... [Responder comentário]

Fiquei curiosa pra ler esse livro, esses dois sempre torturam com essas resenhas otimas.

Li Um Livro disse... [Responder comentário]

Ótima resenha!
Essa é uma das séries que estão há um bom tempo na minha lista.
Foi até bom o post, pra eu lembrar dela e ver se pego logo. haha
É bem no meu estilo, acho que vou gostar. =)
Abraço!

This Gomez disse... [Responder comentário]

Ele é bem curtinho, né? Gostei de descobrir este novo título.
Eu tenho paixão por sagas e esta parece ser um pouco diferente do que anda saindo ^^

E onde a magia se envolve, eu estou junto ♥

Beijoss gente =*

Postar um comentário

 
Guria que lê © 2010 | Desenvolvido por Chica Blogger | Voltar para o topo