A Guerra dos Tronos, As Crônicas de Gelo e Fogo - George R.R. Martin







- Pode um homem continuar a ser valente se tiver medo?  

- Esta é a única maneira de um homem ser valente.







Westeros é uma terra onde o verão pode durar anos e o inverno décadas inteiras. Os Sete Reinos se estendem desde o Norte, onde se localiza a Muralha, até o extremo sul do continente onde estão às terras mais prósperas e a capital, Porto Real. Vindos de uma guerra civil de grandes proporções agora os Reinos vivem sob uma época de paz sendo governados por Robert Baratheon, o insurgente que levantou armas contra o antigo Rei Aerys II Targaryen morto em um ato de traição por um de seus próprios homens.

Eddard Stark, Senhor de Winterfell e melhor amigo de Robert, tem sua vida e de sua família totalmente transformadas quando o Rei e sua comitiva viajam da ensolarada Porto Real até o Norte. Por conta de um pedido de Baratheon e da confirmação de algumas suspeitas, Eddard se vê obrigado a partir de Winterfell deixando sua esposa e o filho mais velho para trás. É com isto que começam as traições, tramas e traumas que acabam por assolar os Starks e dar início a eventos que mudarão a história dos Sete Reinos.


Em As Crônicas de Gelo e Fogo, George R. R. Martin criou um mundo como nunca se havia visto desde a Terra-Média. Com a Guerra dos Tronos, primeiro volume de uma série prevista para ter sete, somos apresentados a todo um universo rico em descrições, repleto de histórias do passado e misticismo de eras antigas em que nobres e exilados tecem intrigas enquanto plebeus e mercenários se veem prestes a entrar novamente em guerra.

Com a história divida em três núcleos e sendo narrada pela perspectiva, em terceira pessoa, por oito personagens diferentes, encontramos um fluxo de leitura linear e atraente. Desta forma cada capítulo não se preocupa em retratar os acontecimentos paralelos ao anterior, mas sim aqueles que sucedem a estes. Assim, o autor prende o leitor com a curiosidade a respeito do que aconteceu neste meio tempo (que em determinadas cenas são muito torturantes não saber o seu desenrolar completo).

Os capítulos não possuem numeração sendo separados somente pelos nomes dos personagens principais de cada um. Estes são Eddark Stark e sua esposa Cately (Tully) Stark que demonstra uma grande evolução durante a narrativa; seus filhos Bran, um garoto na faixa de oito anos de idade; Sansa, filha mais velha do casal, sonha em ser esposa do príncipe e detesta os modos da irmã; Aria, filha mais nova deles e uma das personagens mais cativantes do livro; Jon (Snow), filho bastardo de Eddark, que nunca conheceu a mãe; Tyrion Lannister, um anão chamado vulgarmente de “duende”, é irmão da Rainha Cersei Lannister e de Jaime Lannister; e por fim Daenerys Targaryen, filha de Aerys II e irmã do príncipe Rhaegar, assassinado durante a Batalha do Tridente por Robert Baratheon.

O desenvolvimento da narrativa é lento devido às descrições detalhadas do cenário e de pessoas e seus modos. Também durante todo o transcorrer do livro somos bombardeados com intrigas, suspeitas e traições, das quais ninguém está imune. Por vezes as páginas possuem uma leitura fácil e rápida, mas em sua maioria é necessário que haja um pouco mais de atenção, pois George Martin deixa muitas coisas subentendidas, nas entrelinhas, para que o leitor tenha a audácia de imaginar o que vem a seguir e depois surpreendê-lo com algo totalmente inesperado ou, de tão esperado que poderia ser, desconsiderado.



- Cometi mais erros do que pode imaginar, mas este não foi um deles.

- Ah, mas foi, senhor. Quando se joga o jogo dos tronos, ganha-se ou morre. Não existe meio-termo.


Quando ouvi falar a respeito de Guerra dos Tronos pela primeira vez achei muito pretensioso compará-lo a obra máxima de Tolkien, e algumas fontes até citam que George Martin conseguiu superar "O Senhor dos Anéis" em alguns pontos. Sendo assim, a princípio fiquei meio relutante com relação ao livro, até mesmo por ter vindo de uma leitura não muito agradável de Brinsigr. Passados alguns meses comprei o livro junto de Dragões de Éter, muito mais motivado pela arte da capa do que pela história nele contida. Mas ao terminar de ler o primeiro capítulo minha opinião mudou muito a respeito desta obra.

Surpreendi-me positivamente com relação ao enredo, tanto em construção quanto em desenvolvimento. Há momentos de tensão, de drama, alguns poucos engraçados e raros que envolvam romance. Os personagens também são muito ricos em personalidade. Temos desde um Tyrion Lannister, que às vezes se pode amar e às vezes odiar por causa de suas ações, até um Viserys, que em seus delírios megalomaníacos não vê problema algum em usar a irmã Daenerys como moeda de troca, além de outros inúmeros personagens de grande carisma e importância, mas que de tão numerosos seria necessário um texto somente para descrevê-los.

Outra característica interessante é o fato de não haver maniqueísmo na trama. “Bem” e “mal” são apenas pontos de vista, que ficam bem retratados em uma escolha feita pelo Rei Robert ou pela visão do jovem Jon nas terras gélidas junto a Muralha. Um ponto de destaque com relação a nossa edição é um apêndice ao final do livro no qual constam os brasões, lemas, linhagens e vassalagem das principais famílias dos Sete Reinos. O conjunto capa, contra-capa e orelhas também é lindo, quando aberto formando uma bela imagem. Ponto negativo apenas para algumas traduções que perderam o contexto como a citação acima ou o nome da capital Real’s Lading, cuja tradução não deveria ser Porto Real.

Recomendo a leitura de Guerra dos Tronos para todos aqueles que apreciam alta fantasia, mas que também gostem de tramas articuladas, pois o livro é repleto destas. As descrições são detalhadas, mas não chegam a ser enfadonhas. Não há cenas muito longas de batalhas e estas não são sangrentas ou épicas como retratadas, embora não percam a emoção e profundidade.
 

Outro motivo para que a obra seja lida é o fato da HBO ter produzido um seriado, com dez episódios,  inspirado em Guerra dos Tronos, cujo piloto irá ao ar no próximo domingo, dia 17 de Abril. Abaixo o Trailer desta nova produção que conta com nomes de peso em seu elenco como Sean Bean, conhecido por ter representado Boromir em O Senhor dos Anéis, retornando aos épicos na pele de Eddard Stark.

E se preparem, pois o inverno está chegando.



            



 
Título Original: A Song of Ice and Fire - A Game of Thrones
Título Nacional: As Crônicas de Gelo e Fogo - A Guerra dos Tronos
Autor: George R. R. Martin
Ano de Lançamento: 2010
Número de Páginas: 592 páginas
Editora: LeYa
Onde Comprar: Editora - Saraiva - Submarino
Sinopse: Em A Guerra dos Tronos, o primeiro livro da aclamada série As crônicas de gelo e fogo, George R. R. Martin - considerado o Tolkien americano - cria uma verdadeira obra de arte, trazendo o melhor que o gênero pode oferecer.
Uma história de lordes e damas, soldados e mercenários, assassinos e bastardos, que se juntam em um tempo de presságios malignos.
Cada um esforçando-se para ganhar este conflito mortal: a guerra dos tronos. Mistério, intriga, romance e aventura encherão as páginas deste livro, agora também um blockbuster da HBO.

Minha avaliação:
«««««

 
 


 

Meu nome é Gutemberg Fernandes, ou para os íntimos Guto. Sou fã de literatura fantástica, principalmente épica ou medieval, além de contista nas horas vagas. No Guria irei trazer para vocês um pouco deste universo de cavaleiros e dragões, espadas e magia. Espero que gostem.

11 comentários:

paros28 disse... [Responder comentário]

592 páginas ????????????????? Nossa!!! Tenho uma vontade de ler o livro, obviamente culpa do meu irmãozinho Guto ela obsessão por fantasia anda influenciando.
Gostei da resenha, mas acho que vou ver a minisséria na HBO kkkkkkkkkkkkkkk

Tb estou aceitando de presente de Páscoa o livro do resenhista kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Vulcka disse... [Responder comentário]

Ahh.. É maravilhoso! *-*
Ganhei A Fúria dos Reis de aniversário, na semana passada. Ainda não comecei a ler, mas assim que terminar uns livros que estão na frente devoooroo ele **___**

Não sabia que tinham feito seriado. Tomara que faça jus ao livro :D

disse... [Responder comentário]

Ah... finalmente!

Depois de tanto pedir, finalmente você resolveu resenhar GdT!! Adorei saber mais sobre a história do livro, mas como a Pati... tô mais pra série, do que pro livro, já que as 500 e poucos páginas me desmotivaram kkkk

Estou super ansiosa pelo seriado! E quero muito saber sua opinião sobre GdT 2 xD

Ótima resenha, Gu! E bem-vindo ao Guria como resenhista xD Que estreia!! ^^

Beijos

Janderson Cardoso disse... [Responder comentário]

Eu estou na metade do livro. Muito bom, MESMO.

Cara, comparar com Senhor dos Anéis não dá. Ambos são bons livros, cada um ao seu estilo. SdA é a jornada de heróis para vencer um poderoso mal, GdT não existe bem, existem interesses. No SdA a Terra média é o personagem principal, diferente de GdT onde exitem vários personagens principais, a maioria da Casa Stark.

A contrução do mundo de Westeros é algo que ha muito tempo não se via nos livros de fantasia, exceto por novelas de RPG, que têm um público alvo muito pequeno e que geralmente contam com a contribuição de vários autores para contrução destes mundos.

O mundo de Westeros é rico em detalhes que contribuem para o enriquecimento da trama. A geografia, as culturas, o armamento e o realismo empregado, apesar de acontecer num mundo fantástico, é realmente facinate.

A trama de GdT se desenvolve de maneira muito similar aos romances policiais, centralizado na pespectivas dos oito personagens já citados, o autor informa e algumas vezes desinforma os leitores sobre os acontecimentos dos sete reinos, criando uma opinião crecente a cada página que se lê.

Gostei demais do que lí até agora, espero concluir antes do ínicio da série televisiva. E começar logo a ler o segundo livro, "A Fúria dos Reis", que já está disponível em português.

Li Um Livro disse... [Responder comentário]

Resenha e livro fantásticos!
Ainda não acabei de ler, por falta de tempo. =/
Mas até onde li, estou achando o livro absurdamente bom!
George Martin já está no meu hall de autores épicos, assim como Tolkien e Bernard Cornwell. =)
Espero acabar de ler logo, já que quero acompanhar também a série da HBO.
Abraço!

Mi Müller disse... [Responder comentário]

Interessante esta divisão dos capítulos não ser numérica e sim nominal, este livro sempre me interessou, fantasia rocks!
Não sabia desses seriado, mas nem vou ver antes de ler a obra.
Parabéns pela excelente resenha.
estrelinhas coloridas...

bibs disse... [Responder comentário]

obrigada por me fazer um pouco mais pirada do que já sou! estou com os dois volumes aqui em casa e ainda não conseguir leeeeeer T-T
parabéns por sua resenha torturante a esta pequena hobbit! rs
alta fantasia é tudo!

beijos

Carol Lopes disse... [Responder comentário]

Conheci essa história porque me indicaram a série, na verdade.
Vi o trailer e fiquei realmente muito interessada!
Mas vendo essa comparaçao com Tolkien me deixou muito instigada a conferir a leitura!!! kkkk
(Só aproveitando, gostei muito da resenha pq realmente transmite uma comunicação entre fãs do gênero, abordando exatamente os aspectos que eu perguntaria a quem já tinha lido!! Muito melhor que essas resenhas feitas por criticos pseudo-entendidos... ¬¬)
=)

Maryzlane Sarah disse... [Responder comentário]

Parece ser um bom livro, mas me desanimou saber que "parece" senhor dos aneis, acho que sou a unica pessoa que prefere os filmes de senhor dos aneis em vez dos livros, eu li todos 3 e fiquei bem perdidona.

Mais uma serie de "epoca" pra minha lista, estou acompanhando Camelot que é muito boa diga-se de passagem.

Blog do Lodir Negrini disse... [Responder comentário]

ADOREI A RESENHA!

Muito bem resenhado, realmente fez uma análise detalhada do livro, bem descritiva. Deu para imaginar bem, e você me convenceu!

Lucy disse... [Responder comentário]

Nossa, que resenha bacana! Foi o bastante para me deixar ainda mais motivada em ler, já que há tempos desejo conhecer melhor a história. E, aliás: excelente escolha de trechos. Acredito que não sou a única que vibrou na ansiedade de segurar o livro e devorá-lo, ao ler as primeiras frases:

"- Pode um homem continuar a ser valente se tiver medo?
- Esta é a única maneira de um homem ser valente."

Não há mais o que ser dito, a resenha já fez todo esse papel. Fantástico!

Postar um comentário

 
Guria que lê © 2010 | Desenvolvido por Chica Blogger | Voltar para o topo