Hugo, o Vampiro – Gabriel Burani

HUGO_O_VAMPIRO__AS_LUZES_NA_IDADE_DAS_T_1258381101P

 

 

 

“Sendo ignorante em sua natureza, Hugo achava-se diferente dos demais. Começou a temer o sol... Notou que tinha sede frequentemente, mas não sabia que era de sangue...”

Hugo, o Vampiro – página 9

 

 

 

O destino traçado em seu nascimento o fez possuidor do Dom, o dom que o torna ao mesmo tempo Trevas e Luz. Ele já encontrou as Trevas, agora precisa buscar pela Luz. Conheça os caminhos que levaram Hugo a ser um Vampiro e trilhar a escuridão através dos anseios em encontrar a luz de sua verdade!

 

No século X, no período em que a Europa estava entregue as Trevas e a ganância dos senhores feudais, as disputas por terras e posses sobrepujavam a vontade de povo, deixando-os a mercê da sociedade. Uma época onde reis e rainhas buscavam aumentar suas riquezas, lutando por maiores posses e subestimando a vontade de um povo pela sua própria. Nada disso era diferente em Beznã-Ateriza, um feudo mantido pela crueldade, frieza e violência de seu Rei, Hegon, que travava batalhas para aumentar mais e mais o seu poder. Em contra partida, a Rainha era a face da benevolência, inteligência e respeito perante seu povo, já que Eglantine era o oposto de seu marido, e enxergava seu povo com outros olhos.

 

No meio de tudo isso se encontrava Hugo von Shclotstendder, o príncipe de Beznã-Ateriza, um jovem cavaleiro, guerreiro imbatível em combate, um garoto de coração puro e um homem de caráter invejável. Sua reputação de bondade e sabedoria atravessou seus exércitos e chegou aos ouvidos da população, que o via de bom grado. As batalhas que travava para defender o reino de seu pai eram cada vez mais evidentes, até o dia em que precisou travar sua própria batalha: expor sua natureza, até então desconhecida, buscando forças de vencer a guerra a sua frente. Sua transformação em ser das Trevas, por mais surpreendente e inacreditável para Hugo, se revelou num péssimo momento: o feudo que buscava destruir para acrescentar as posses de seu pai era de propriedade de seu querido tio Rosco.

 

Inconformado com a perda de suas terras, Rosco sucumbiu à própria vontade, deixando apenas seu corpo para ser encontrado por Hugo. Mas apesar do corpo moribundo de seu ente querido lhe causar angústia, o olhar de Hugo deteve-se numa preciosa joia, presa aos dedos de seu falecido tio. O colar de prata em forma de dragão com uma pedra azul transparente chamou a atenção de Hugo e do centro da bela joia, Hugo recebeu um chamado: “Somente isso poderá salvá-lo das trevas, rapaz! Esta será sua VERDADE... Encontre-nos, príncipe!”.

 

Com uma missão a cumprir, Hugo deve descobrir como encontrar sua luz, quando ao seu redor só há Trevas. Um vampiro com um Dom e a chance de dar a cada um o sopro de vida para prosseguir seu caminho. Hugo irá aprender sobre como o Dom pode transformar as pessoas, espelhando-se na maldade de seu pai e na serenidade de sua mãe, vampiros como ele. Um caminho a seguir para encontrar a si mesmo e o que o destino lhe reservou. Desbrave este mundo junto dele e descubra que a natureza de um ser é subestimada pelo desejo de ser mais... de ser melhor... de encontrar sua verdade!

 

 

“Era estranho o modo com que cada capítulo da vida de Hugo parecia abrir-se para novos outros, e mais estranho ainda era o desejo do vampiro em querer preencher cada página em branco, encontrar as luzes na Idade das Trevas.”

Hugo, o Vampiro – página 126

 

 

Hugo, o Vampiro foi uma agradável surpresa, por dois motivos: primeiro, me apresentou seu talentoso autor, Gabriel Burani, hoje um grande amigo, com quem passo horas falando amenidades e tentando descobrir de onde surge tanta ideia; e segundo, por ser uma história interessante a sua própria maneira. Quem me conhece sabe que tenho fascinação por vampiros e tudo o que há na literatura sobre eles, consequentemente, está presente nas minhas leituras. Tal fato me leva a “julgar” muito os livros sobre este tema, o que tem por si, dois lados, um bom e um ruim. O bom é que sou praticamente uma especialista em vampirismo literário, enquanto o ruim consiste no fato de que inicio uma leitura com “receio”, isso mesmo, pois cada história é única e fico temerosa de que um novo enredo é apenas uma escrita diferente de algo já apresentado. Porém, Hugo não tem disso, o que o torna verdadeiramente singular a sua forma e fazer de sua história uma maravilhosa surpresa.

 

A narrativa de Burani é inovadora em vários sentidos, incluindo o fato da ambientação numa era Medieval e a maneira com que trata o vampirismo, nesse caso, como um Dom e não uma maldição. Incrivelmente, Hugo ao se tornar vampiro ganha o Dom da vida eterna e com ele, a responsabilidade de fazer com que sua imortalidade não seja em vão. Mesmo sendo um ser condenado as Trevas, Hugo não se deixa levar pelo lado “ruim” de ser um vampiro, como seu pai – lado cruel, violento e sem emoções – mas sim deixa-se tocar pelo lado “bom”, seguindo os moldes de sua mãe, que mantém consigo os laços que a tornam “humana”, através de sua bondade, respeito e preservação da vida humana com dignidade. Assim, apesar de Hugo ser “tocado” pelas Trevas, ele busca a luz, mantendo sua humanidade “viva”, e continuando a ser visto pelo seu povo com a bondade de um homem, mas com o poder e a força de um cavaleiro.

 

A história de Hugo, o Vampiro se baseia na busca do protagonista pelas jóias místicas e pela – inconsciente – aprovação e reconhecimento de seu pai, através das lutas por terras, mesmo que elas estejam intimamente ligadas à conquista das pedras. Mesmo Hugo não tendo o real conhecimento sobre o que as pedras representam, ele sabe que precisa delas, e isso basta para mover mundos atrás delas. Essas duas jornadas fazem de Hugo, o Vampiro uma verdadeira história medieval, cheia de batalhas, romances proibidos, uma jornada misteriosa e até aquela típica maldade de “contos de fadas”, mas essa, com um cunho um tanto mais forte.

 

 

“Aquele broche tem poderes especiais, alteza. Dizem os antigos que aquelas jóias representam as virtudes de um cavaleiro: Verdade, Humildade, Amor, Sabedoria e Harmonia.”

Hugo, o Vampiro – página 75

 

 

O livro tem uma narrativa rápida, porém densa de informações. Ao mesmo tempo em que a passagens dos anos é descrita sucintamente, as características da época são reforçadas por uma narração mais “formal”, mas não apresentando linguagem rebuscada. A descrição dos personagens é um tanto breve, creio que é um artifício para melhor explorá-los nos outros volumes da série, indicando que há muito mais pela frente e me agradando muito, visto que quero saber mais sobre Eglantine, Bruno Beigon (por quem estou inconformada com o final), Hemillia e o próprio Hugo.

 

Apesar de ser um volume curto e pequeno tamanho, Hugo, o Vampiro é uma leitura diferenciada para aqueles que buscam conhecer vampiros em todas as suas formas. Inovador, instigante, repleto de aventuras, romance, batalhas e suspenses eletrizantes, Hugo, o Vampiro não é apenas mais um livro de vampiros, mas sim uma nova visão de como esses seres sobrenaturais tão temidos (amados e invejados!!!) tem ainda a acrescentar na literatura de fantasia. E a literatura nacional agradece!

 

Com um vampirinho como esses por aí, não tem como deixar de lê-lo. Então, prepare a cavalaria, empunhe suas armas e junte-se a esta batalha, descobrindo junto com Hugo como encontrar a Luz em meio a tantas Trevas.

 

Hugo, o Vampiro é uma trilogia, sendo que o segundo volume – Reino de Sangue – será lançado ainda este ano, pela Editora Multifoco!

 

blogger logo 71058_216169690840_6480306_q

 

Título Original: Hugo, O Vampiro – As Luzes na Idade das Trevas

Autor: Gabriel Burani

Ano de Lançamento: 2008

Número de Páginas: 128 páginas

Editora: All Print

Onde Comprar: AutorCulturaEditoraSaraivaSubmarino

Sinopse: Hugo o Vampiro - As Luzes na Idade das Trevas é o primeiro livro que narra a saga de Hugo Von Sclotstendder, um jovem príncipe que se vê destinado a viver nas trevas, dada sua nova condição de vida: a imortalidade de um vampiro. Em sua busca para controlar e conhecer sua privilegiada existência, Hugo se lança em uma surpreendente missão para encontrar cinco jóias místicas. O leitor é convidado a acompanhá-lo em suas aventuras, recheadas de combates armados, cercos a castelos, donzelas em perigo, jogos, feitiços e encantamentos na Europa na Idade das Trevas. Uma pitada de terror, humor, romance e drama, também marcam os primeiros passos do Príncipe-Vampiro Hugo.

Avaliação: ««««

33 comentários:

£ädÿ disse... [Responder comentário]

particularmente, não gostei muito do livro. achei que faltou muita informação que deveria ter sido dada, e simplesmente não engatei na história. acredito no talento do Gabriel, e quem sabe minha opinião mude com o segundo livro :)

Livy disse... [Responder comentário]

Adorei a resenha! Hoje a gente vê muitos livros de vampiro, mas alguns realmente não são nada interessantes. EÉ dificil achar livros bons com o tema, e me interessei muito por este, que não conhecia ainda.
Adorei a dica e o livro está anotado como próxima compra! =D

Brigada pela ótiam dica!

Bjos

Livy
http://nomundododslivros.blogspot.com

gabriella RK disse... [Responder comentário]

Eu li este livro e gostei muito!!!
A sua resenha esta ótima,amei,parabens!
beijos

­Nanda disse... [Responder comentário]

Adorei a resenha! No começo não fiquei muitooo com vontade de ler não, mas mais pros últimos parágrafos me animei bem, parece ser uma boa história! :DD' Gosto muito de ver as formas que cada escritor descreve um ser, seja vampiro, anjo, demônio, o raio que o parta rs. Quando tem muitos livros sobre isso, cada autor faz de uma forma o seu ser e para algumas pessoas é meio chato e começam a falar mal da historia que nao concordam, mas eu adoro isso xD É bom pra compor os meus próprios personagens como eu quiser depois, com um pouquinho de cada autor que li x)

Pah disse... [Responder comentário]

Oi
Gostei muito da resenha, eu particularmente também adoro livros de vampiros, acabo que sempre os coloco no topo da minha lista de leitura, agora que li seus comentários vou acrescentar - Hugo, O Vampiro no topo dela! ahuahauhuah

Beijokas

http://livrosefuxicos.blogspot.com/

Andrezza disse... [Responder comentário]

Eu nunca tinha ouvido falar do livro até agora! De qualquer forma, adorei a sinopse e os trechos, parece ser uma leitura bem interessante. Gostei da resenha, e AMEI a capa.

Beijos.

Vulcka disse... [Responder comentário]

Me desanima ver que só tem 128 páginas =\
Mas parece ser um bom livro :D
(Apesar do Hugo não brilhar no sol) haushuahs

Thiago de Andrade disse... [Responder comentário]

Nossa, que resenha gigante XD

Eu sempre gostei de vampiro, o problema é que sou um pouco conservador. Gosto de vampiros de verdade, do tipo tradicional. Por isso fico com um pouco de receio, com medo de ser só mais algum autor querendo se aproveitar do momento.
Pelo jeito não o caso desse livro, graças a Deus huahua
Mas essas 128 páginas me deixam meio desanimado. Acho que é muito pouco pra desenvolver bem uma história (Na maioria das vez).

Thiago
http://outroconceito.blogspot.com/

Li Um Livro disse... [Responder comentário]

Já tinha visto a capa e alguns comentários sobre esse livro.
Mas, pela sua resenha, admito que nem de perto é o que eu pensava que seria...é bem melhor! haha
É bem curtinho, uma leitura rápida, dá pra encaixar na fila sem grandes prejuízos. =P

Guto Fernandes disse... [Responder comentário]

Desde o ano passado eu tenho curiosidade a respeito do livro assim como tinha também um receio, já que por ser um tema em voga corria o risco de ser algo não muito bom. Mas depois de ler essa resenha, muito bem escrita por sinal, me fez ter uma ótima noção a respeito da obra.

Gostei dessa nova abordagem a respeito dos vampiros e como o próprio vampirismo é abordado, traz um novo folego para a narrativa e para o mito. E ao criar Hugo como um cavaleiro as coisas ficam ainda mais interessantes, pois em geral vampiros são retratados como guerreiros, mas cheios de crueldade e um espirito tirano, como no caso Hegon, e os cavaleiros, embora não fossem santos, tinham essa parte mais honrada.

Fiquei curioso para saber como se desenrola a história, que deve ser veloz pelo número de páginas, e quais os desfechos deste primeiro volume assim como as dúvidas que são colocadas para serem respondidas em Reino de Sangue.

Parabéns ao Gabriel, que de forma muito criativa inovou com Hugo, o Vampiro e sucesso para ti! E Parabéns a minha Guria linda pela resenha maravilhosa, digna de um livro tão bom.

Stephanie disse... [Responder comentário]

Quem me conhece sabe: Eu sou apaixonada por vampiros (e por lobisomens). (Anne Rice 4ever!<o/)
E esse é o primeiro motivo para eu querer ler esse livro. Aí a sinopse me vem com "pitada de terror, humor, romance e drama"... Ou seja, uma mistura perfeita! E completa com "Príncipe-Vampiro Hugo"... Nem preciso dizer o quanto nosso personagem parece apaixonante!
Então, eu quero muito ler, e a chance de eu não gostar do livro é muito pequena.

Beijão, querida!

@stehpradella
http://o-diario-literario.blogspot.com/

Nanda Meireles disse... [Responder comentário]

Fiquei tão feliz em descobrir que o Burani é um colega de editora. Ainda não li o primeiro volume, mas espero ler em breve.

Beijos =)

Miin Trindade disse... [Responder comentário]

Como eu disse na entrevista com o autor, eu adorei a idéia do livro, que parece bem original, e estou LOUCA pra ler, já que, além de parecer super interessante, se passa séeeeculos atrás e eu AMO isso *-*
Já quero muito esse livro, sis.

Ótima resenha.
Beeijos

Anônimo disse... [Responder comentário]

HIstorias ou estorias de vampiros não são muito a minha praia, não curto muito esse tema porque na maioria das vezes, à mim me parece, é sempre uma luta do bem contra o mal, mas esse livro me pareceu diferente. Me corrija se eu estiver errada, me parece ser uma historia de luta de Hugo contra ele mesmo. Adoraria ler a historia completa, me parece ser interessante.

@lethicia23

bibs disse... [Responder comentário]

estou meio receosa com histórias de vampiros depois da série crepúsculo =x mas o livro do gabriel parece ser bem legal. quando puder vou dar uma conferida, até porque é uma trilogia né, adoooro

beijos
bibs

Paulo Roberto disse... [Responder comentário]

To participando da promoção!

Lucia Marina disse... [Responder comentário]

Oi!

Não conhecia esse livro!
Apesar de ser mais uma história de vampiros, até que fiquei com vontade de ler: se passa no século X, o que me deixa muito curiosa. E, se tem , batalhas épicas, com certeza será um boa leitura.
Estou satisfeita em saber que, apesar de ser um livro curto, como você disse, é uma trilogia, terá continuação.
Obrigada pela dica!

Bjos!

Euflauzino disse... [Responder comentário]

A imortalidade é algo que a todos encanta... a busca pela perfeição e pela vida eterna ainda é máxima em todos os cantos do planeta. Cientistas estudam, indústrias e conglomerados investem e nós no meio do fogo cruzado. Mas e se tudo isso se resolvesse com uma mordida de um ser especial? Taí algo que sempre me deixou perplexo, a facilidade com que nós nos deixamos levar pelo imponderável, pelo mágico. Fiquei extremamente curioso pelo livro. Bela resenha.

Vivian - PS disse... [Responder comentário]

Sinceramente, não li toda a resenha, pois como estou participando da promoção e em outros Blogs ouvi falar sobre o livro me deu uma certa curiosidade, então quero esperar para ler. Eu adoro fantasia, adoro vampirismo e acho que vou me surpreeender com a historia, eu já to dando preferencia aos autores brasileiros, já tem alguns na minha estante que estou passando na frente e espero que o ''hugo'' me encante! Quero ler do inicio ao fim! Big, beijooos guria !
@modera_cover.

Amanda Faustino disse... [Responder comentário]

Nossa! Gostei, nunca tinha me interessado por esse livro, mais como era uma promoção resolvi participar. Mas quando li essa resenha, eu fiquei louca para ler *-*'

Leilla disse... [Responder comentário]

Parece ser um livro com uma grande aventura.
O que acontecerá com Hugo quando ele encontrar a luz?
Foi essa pergunta que eu fiz depois que li a resenha.
Fiquei muito curiosa sobre esse livro.

Mireliinha disse... [Responder comentário]

Já conhecia esse livro, mas nunca tinha tido a curiosidade de ler a sinopse ou alguma resenha e digo a você que me surpreendi...
Acho que vou gostar, fiquei BEEEEM curiosa!

:*

Paula C. disse... [Responder comentário]

Gostei do livro, tem uma temática boa e uma aventura que faz o leitor querer se envolver.

Lari disse... [Responder comentário]

Já vi bastante blog falar desse livro, mas nunca li! vampirismo voltou à moda literária e agora tem alguns títulos nacionais tbm que parecem bacanas!Legal saber que tu não achou a história "copiada" de outras!um vampiro bonzinho ooin! ahahahha

Anônimo disse... [Responder comentário]

Muitos pessoas me falam desse livro mais não tive a oportunidade de ler, mais pela capa podes-se dizer que o livro e misterioso, tipo de livro que prende-nos até o final. Um romance no livro ficou perfeito pois como quem não é doido por um romance proibido que normalmente acaba bem, quem sabe o que esse livro espera no final. Muita expectativa para poder o livro.

rafersom disse... [Responder comentário]

eu apesar de não gostar mt de gatos... e sim amar vampiros, tenho certeza que o livro será uma breve relato de descrições sobre a beleza do mesmo.

Sabrina Barreto disse... [Responder comentário]

Adorei a resenha! Adoro histórias vampíricas, ainda mais quando se passa no século X! Tinha visto em um blog, não lembro qual, sobre esse livro, mas não tive a oportunidade de ler, apesar de parecer ser ótimo. Sem contar que a capa é uma graça né?

Rachel Paolone disse... [Responder comentário]

Sim, eu amo vampiros. E sim, eu amo principes. E é claro, tambem amo coisas de séculos passados... O que mais eu quero? A resenha me deixou completamente apaixonada já. Quero muito ler! É claro que não ficarei de fora da promoção. É muito provavel que eu não ganhe (não tenho sorte nenhuma), mas mesmo assim, eu saio correndo pra comprar um exemplar pra mim!

SONIAJAM disse... [Responder comentário]

"a responsabilidade de fazer com que sua imortalidade não seja em vão". Gostei desta frase, em um século em que o poder, a aquisição de terras e a força bruta ditam as regras ( Tô falando do sec. X) é incrível saber que um imortal pensaria em não deixar passar em vão sua imortalidade, visto que na maioria dos livros eles só pensam neles e nos da sua espécie e eu continuo gostando deles (vai entender)+ a resenha me deixou curiosa e visto que a + por vir e eu adoro uma boa estória , já esta na lista de Priore Vamp..

Bjos!!

Shanellynhá! disse... [Responder comentário]

Gostei muito da resenha, e o livro parece ser muito bacana.
Consegui enxergar por trás da história sobre vampiros, uma história sobre valores morais, a muito esquecidos.
A trama parece mesmo instigante. E como o livro não é tão longo, é bom porque dá pra ler numa tarde =)

Abraços!

Shanellynhá! disse... [Responder comentário]

Gostei muito!
Parece uma história com muitas aventuras e ação.
Que discute valores morais por trás de uma história de vampiros.
Gostaria muito de lê-lo.

Abraços!

Minha WonderLand disse... [Responder comentário]

Desde Criança, sempre gostei de Histórias de Vampiros, espero que essa história não me decepcione...

Andressa disse... [Responder comentário]

pela resenha o livro parece ser bom...eu tbm sempre gostei de livros de vampiros..mas são poucos que são bem escritos e sabem dar aquele ar vampirico...espero que eu ganhe..quero muito ler!

Postar um comentário

 
Guria que lê © 2010 | Desenvolvido por Chica Blogger | Voltar para o topo