Desculpe, Quero Me Casar Contigo – Federico Moccia

DESCULPAN_QUERO_ME_CASAR_CONTIGO_1288512459P

 

 

 

“- Mas você me deu um sonho que supera qualquer realidade.”

Desculpa, Quero me Casar Contigo – página 134

 

 

 

 

Até quando um amor pode durar? Ele pode durar para sempre? A incrível sequência de Desculpa se te chamo de amor (resenha aqui) prova que para o amor não há tempo nem limites.

 

Um ano após voltarem da ilha Blu, a ilha dos apaixonados, Niki e Alex continuam vivendo felizes o amor por que tanto lutaram. Niki está curtindo a faculdade e uma fase única em sua vida: amigos, festas e liberdade. Alex volta ao seu trabalho e as correrias e desafios que a publicidade lhe impõe. Eles estão felizes com o momento em que vivem, mas Alex quer mais. Ele decide dar mais um passo em sua relação com Niki e planeja tudo para torná-la sua mulher.

 

Um pedido e uma resposta que mudarão suas vidas. O rumo normal para um relacionamento é evoluir e o casamento é a próxima etapa que eles devem vencer. Alex está pronto para isso, e o seu maior desejo é ter Niki ao seu lado. Niki sonha em transformar seus votos em realidade, em conseguir viver um casamento para toda a vida. Mas será Alex o cara certo para isso? No amor e na dúvida, eles se manterão unidos? Até que ponto o amor consegue ser maior que a insegurança e os desafios do dia-a-dia? Alex e Niki irão descobrir até onde o amor poderá os levar.

 

 

“Nesse momento Alex compreende que nem as palavras nem o dinheiro ou o poder servem para reconquistar essa luz, essa pequena e enorme chama que é a felicidade. E não existe loja nem documento, papel nem recomendação capaz de trazê-la de volta. Nada é certo, então. Do outro lado do arco-íris não existe nenhum pote cheio de moedas de ouro. Depois do “The End” dos filmes românticos, depois desse beijo apaixonado e antes de tudo escurecer no meio de uma música maravilhosa, não resta nada. Nada.”

Desculpa, Quero me Casar Contigo – página 344

 

 

Federico Moccia amadurece sua escrita e deixa de lado o típico romance de “contos de fadas”, para abordar um relacionamento real, sujeito a desafios, decepções e a incessante dúvida do “que virá pela frente”. Mantendo a narrativa rica em citações famosas, em belas canções italianas e apresentando ao público a essência da vida neste país, Moccia transporta Niki e Alex de volta à realidade em Desculpe, Quero me Casar Contigo. Agora, eles precisam conciliar suas vidas com o amor que sente um pelo outro, lutando, a todo custo, para conseguir, no final do dia, o seu felizes para sempre.

 

Desculpe, Quero me Casar Contigo é como um balde de água fria nos idealistas de amor eterno, compassivo e inquestionável. O livro quebra o encanto do amor sem limites do primeiro volume e demonstra a busca continua em manter um relacionamento estável e “vivo”, sendo que cada dia é uma construção, uma batalha a ser vencida. A narrativa aborda temas como ciúmes, traição, as dúvidas e incertezas sobre a pessoa, o amor e o relacionamento em si, e a eterna pergunta de “até quando irá durar”.

 

   Scusa-ma-ti-voglio-gall1 scusa-ma-ti-voglio-sposare-14

 

A história deixa de ter o foco apenas em Niki e Alex, explorando os relacionamentos e as histórias de vida de seus amigos, as Ondas, Pietro, Enrico e Flávio, e consequentemente, situando as épocas diferentes que cada grupo vive. Por um lado, existem as Ondas sonhando viver um amor único e verdadeiro, que dure a vida inteira e seja tão perfeito quando os contos de fadas. Por outro lado há a experiência de anos lutando para manter o amor vivo, mas descobrindo que nem sempre os esforços são equivalentes, pois para um relacionamento dar certo é preciso empenho e dedicação das duas partes. As Ondas buscam descobrir o amor... Pietro, Enrico e Flávio buscam tê-lo de volta. As duas situações, por mais desiguais que sejam, tem uma similaridade sutil: o amor é uma eterna busca. Não significa que ao encontrá-lo, ele será seu para sempre. O amor precisa ser conquistado um pouco mais a cada dia para sempre se manter vivo entre duas pessoas.

 

Em Desculpe, Quero me Casar Contigo, Alex e Niki invertem os papéis, passando Alex a ser o apaixonado e romântico, e Niki a questionadora e insegura. Após Alex ter decepcionado e enraivecido os leitores em DSTCA, foi à vez de Niki se revelar a indecisa e temerosa. Apesar de estar convicta com relação aos seus sentimentos por Alex, Niki não tem certeza de que este é o momento ideal para tornar seu relacionamento “eterno”, porque é justamente isso que ela deseja, um casamento – com amor – para a vida toda. Cheia de dúvidas e questionamentos, Niki apenas quer se deixar levar pela leveza e suavidade que só a felicidade e a liberdade podem lhe dar. Em contra partida, Alex finalmente tem certeza de que encontrou a pessoa certa, de que Niki é a quem ele sempre procurou e desejou poder encontrar. Mesmo com o ciúme, ele acredita que o amor dos dois falará mais alto. Com os preparativos do grande dia acontecendo, Niki tendo de enfrentar as irmãs de seu noivo e Alex os desafios que uma promoção que seu emprego lhe proporciona, os dois deverão pensar em seu amor para vencer as dificuldades e no final de tudo, dizer o tão sonhando sim e transformar seus sentimentos, em uma vida toda de felicidades.

 

 

“(...) – Acha que o casamento é uma maratona? Isso significa que lhe parece árduo.

-Não. Vejo como uma volta ao mundo, “em mil dias seus e meus”, aproveitando o tema, “sem deixar-se jamais”.”

Desculpe, Quero me Casar Contigo – página 278

 

 

Apesar de ser uma história fictícia, a mesma tem um cunho mais real e o leitor pode se ver mais próximo dos personagens e se identificar nos questionamentos a cerca de um relacionamento. Essa abordagem faz com que o livro se torne mais pessoal, mais íntimo, e o leitor acaba se inserindo na própria história (é... eu me vi no lugar da Niki! rsrs).

 

Moccia me surpreendeu com sua narrativa. Não sei ao certo o que esperava encontrar com essa leitura, mas certamente não foi o que encontrei. Apesar de considerar essa leitura um tanto cansativa, em grande parte pela própria abordagem da história, o livro foi muito bom. Um desfecho ideal, em minha opinião. Cruzar as histórias dos “personagens secundários” com o momento que os protagonistas vivem foi uma escolha de mestre de Moccia. Mesmo sendo conhecido pelos seus romances tipicamente adolescentes, o autor soube elevar sua história para o “após”, o que acontece depois do “e viverão felizes para sempre”, a verdadeira realidade de como um relacionamento se transforma e se mantém. Sem entrar em muitos detalhes (nada de spoilers!), o livro deixou claro algo que muitos esquecem: o amor em si não basta... é preciso se doar para um relacionamento dar certo. Entrar de cabeça, estar presente, se fazer querer, lutar por isso. Por mais que haja sentimentos é necessário ter atitude e vontade de fazê-lo acontecer. Empenho, dedicação e respeito... uma simples lembrança... faz tudo ser diferente. E para mim, foi isso que Moccia quis demonstrar.

 

  sp_cfcda06e70456b2cae7f53758f258dba scusa-ma-ti-voglio-sposare-20091215090919_ahorigb

 

Adorei os dois volumes dessa linda história. Me apaixonei por Alex (não sei porque né?! Oiii príncipe encantado moderno!!) e Niki, e pelo amor incrível pelo qual eles lutam e ao mesmo tempo vivem. É motivador ler algo tão palpável (e invejável) como um amor que supere qualquer preconceito, diferença e adversidade. Então, se você quer vivenciar um amor moderno e ao mesmo tempo real, não deixe de ler Desculpa se te chamo de amor e sua sequência genial, Desculpe, Quero me Casar Contigo.

 

Eles descobriram que o amor verdadeiro não tem hora, idade e nem momento certo para surgir... ele simplesmente acontece. Descubra a magia desse amor e encante-se com a fascinante história de Desculpa se te chamo de amor/ Desculpa, quero me casar contigo!

 

“(...) – Porque pode ser que uma manhã você se levante e veja que está jogando a sua vida fora; pode perceber que tinha algo maravilhoso e que o está perdendo. E não poderá permitir isso. Não pode continuar sofrendo em silêncio e vivendo uma vida vazia e inútil. Porque quando conhece a pessoa certa, especial, a única, essa que sabe que nunca ninguém poderá substituir, então precisa fazer qualquer coisa para reconquistá-la. Até subir no palco e interromper a apresentação de um DJ, parar a música e fazer seu coração falar. Já se apaixonaram alguma vez? Já aconteceu de não pensarem em outra coisa que não fosse essa pessoa, desejar com todas as forças ver a outra pessoa, passar seu tempo com ela, poder tê-la? Está acontecendo comigo agora!”

Desculpa, Quero me Casar Contigo – página 408

 

 

O livro ganhou adaptação para as telonas em 2009, mantendo o mesmo elenco que consagrou a linda história de amor de Niki e Alex. Scusa ma ti voglio sposare não tem previsão de chegada às terras tupiniquins.

 

 

 

 

Título Original: Scusa ma ti voglio sposare

Título Nacional: Desculpa, quero me casar contigo

Autor: Federico Moccia

Ano de Lançamento: 2010

Número de Páginas: 416 páginas

Editora: Planeta

Compre aqui: FnacSaraivaSubmarino

Sinopse: Alex e Niki continuam perdidamente apaixonados um ano depois de voltarem da viagem à ilha Blu onde, entre juras de amor eterno, viveram dias inesquecíveis. Ao voltar, Alex começa a pensar sobre a possibilidade de pedir Niki em casamento, só que ele não faz a menor ideia de como vai fazer isso. Entre o estranhamento da volta à realidade e os sentimentos intensos de amor e paixão, Niki e Alex percebem que, diante de novos desafios, poderão ter de enfrentar uma difícil pergunta - 'O amor pode durar para sempre?'.

Avaliação:

««««

11 comentários:

paros28 disse... [Responder comentário]

Amiga as tuas resenhas são insuperáveis, nem pretendo fazer resenha de Quero me casar contigo, não irá chegar nem aos pés da tua. Ficou incrível a descrição do livro, e garanto que a resenha foi melhor que o livro kkkkkkk

Beijos

Maryzlane Sarah disse... [Responder comentário]

Ao suas resenhas sempre me deixam com vontade de ler os livros *-*

Edilza Pinheiro disse... [Responder comentário]

Oi!
Ainda quero ler este livro. certezaaaaa absoluta!

beijosss

Fabiano "BALOO" Santos disse... [Responder comentário]

Ai ai... Esse livro está na estante há um bom tempo! Ganhei de presente de duas grandes amiga, mas ela não sabia que era uma continuação. Agora estou no aguardo pra ler Desculpe se te chamo de amor... (Oi, alguém se candidata a me presentear, kkkkkk).
Se eu tava louco pra ler, depois dessa resenha, eu PRECISO ler esse livro! Talvez assim eu aprenda o que não tenho aprendido na vida real... Aff!
Mas tudo bem... um dia chego lá!
Mas fala sério quando li isso quase tive um treco: "o livro deixou claro algo que muitos esquecem: o amor em si não basta... é preciso se doar para um relacionamento dar certo. Entrar de cabeça, estar presente, se fazer querer, lutar por isso".
Sempre pensei assim... agora um livro diz isso. Então ele tem que fazer parte da minha vida.
Que venha Niki, Alex e Moccia... preciso de vcs urgentemente! KKKKKK




Afilhadinha, obrigado por me fazer querer passar esses dois livros na frente de tantos viu? KKKKKKKKKKKKKKk Vou enloquecer desse jeito... KKKKKKKKKKKKKKKKK

Jaque Sant'ana disse... [Responder comentário]

Aaah, eu estou com o livro aqui em casa e ainda não li, mas essa resenha me deixou cheia de vontade de devorar o livro imediatamente. "Desculpe se te chamo de amor" foi meu primeiro livro do Moccia e estranhei bastante a maneira de escrever dele, mas depois me acostumei. Achei encatadora a maneira dele abordar o amor, colocando problemas tão cotidianos em um romance de ficção.

Li Um Livro disse... [Responder comentário]

Ótima resenha! Bem completa e detalhada, como sempre. =)
Parece ser ainda melhor do que eu pensava.
Obrigado por me fazer exceder minha cota mensal de livros, acabei de comprar mais dois. haha

Ana Elisa disse... [Responder comentário]

Não vou ler a resenha pq ainda não li desculpa se te chamo de amor, mas vou lá ver a resenha do primeiro pra ver se me animo a ler.

KaahCullen_ disse... [Responder comentário]

eu nao li nenhum dos 2 livros
só assisti o primeiro filme
adoorei a resenha *-*
bjo

Celle Espindola disse... [Responder comentário]

Estou com Desculpe, quero me casar contigo desde o Natal aqui e não li ainda ;s
Eu ganhei ele junto com Desculpa se te chamo de amor, que eu li, mas não é meu tipo de literatura favorito, sabe. Eu gosto de mais ação, coisas mais animadas. Mas, mesmo assim, eu vi que o livro é muito bom e eu vou ler a continuação assim que animar mais e desanimar com meus outros da fila, haha

Beijos,
Celle
Três Lápis

Guto Fernandes disse... [Responder comentário]

Bem como eu já disse a minha amiga @Paros28 é uma dificuldade incrivel para mim falar sobre esses romances; sem não tem vampiros ou cavaleiros nunca é a minha praia rs.

Mas esse texto, que antes de qualquer coisa tenho que dizer ficou maravilhoso, me fez até pensar no desenvolvimento desta história.

Acho interessante essa intenção do autor em focar a narrativa em uma relação conflituosa e em que cada dia é uma nova batalha. Por vezes isso é bom para mudar o lado piegas da literatura romantica onde tudo dar certo e os dois são felizes o tempo todo, mostrando então como as coisas acontecessem na realidade.

E com a resenha podemos sentir o quão reflexivo o livro pode ser, com todas as dificuldades que um casal pode passar e além de tudo como pode o amor entre os dois durar dia após dia.

Bem... eu acho que isso é tudo que eu tenho para falar. (Quaisquer outras coisas podem comprometer minha imagem rs)

O texto como eu já disse, e reitero, é maravilhoso, conduzido desde o primeiro paragrafo até o fim de maneira a prender o leitor do blog, e fazer com que se torne um leitor de Desculpa (...) em potencial.

Parabéns meu amor, se esse não for seu melhor texto até então é um dos melhores com certeza. Beijos...

Danilo disse... [Responder comentário]

A próxima vez que você falar que suas resenhas não são boas, dou um tapa na sua cara! Bjks

Postar um comentário

 
Guria que lê © 2010 | Desenvolvido por Chica Blogger | Voltar para o topo