Prateleira Nacional #05

 

guria_

 

Inspirado na popular série americana America’s got talent, a seção “Prateleira Nacional” do Guria que Lê apresentará os novos talentos brasileiros no campo da literatura. A cada edição um novo autor/ autora terá suas obras apresentadas, bem como o seu perfil e sua carreira literária. Valorize a literatura nacional conhecendo seus autores. Prestigie você também o talento brasileiro!

 

Na edição de hoje, tenho a honra de apresentar Paula Pimenta, autora de Fazendo Meu Filme!

 

Como vocês puderam ler na minha resenha de Fazendo Meu Filme 1, a guria aqui ‘gamou’ neste livro. E com a ajuda da Cí (Fotos e Livros), entrei em contato com a Paula para convidá-la para essa seção. E qual a minha surpresa quando ela não só aceita, como elogiou muito a minha resenha?! Ahhh, ganhei minha semana lendo aquele e-mail (segredinho! =x). A Paula é uma fofa, super atenciosa e querida, e é com muita honra que trago ela para essa seção. Espero que curtam *-*

 

 

lancamentofmf3   

A Paula é uma menina que já passou da infância, mas ainda se sente assim. Menina. Talvez por ela gostar tanto de chocolate, animais, músicas infantis e tudo o mais que faz com que as pessoas pensem que ela está sempre no mundo da lua... Ela vive lá mesmo. Em uma dimensão paralela feita de sonhos e doce de leite, onde nenhum mal tem permissão para entrar.


Paula é publicitária não praticante; professora de música por necessidade; cantora, atriz e escritora por vontade; mas não tem a menor idéia de onde vai estar daqui a 10 anos (ela espera que seja dando a volta ao mundo dentro de um balão)...

 

 

 

Guria: Se você pudesse se descrever como o personagem de sua própria vida, como seria?

Paula: Acho que eu seria uma mistura da Fani, com a Mia (do livro Diário da Princesa), com a Carolina (do filme A Dona da História)... Eu seria uma personagem muito tímida, sonhadora, apaixonada, que acha que a própria vida é o melhor filme de todos e faz de tudo para ter vários finais felizes!

 

 

Guria: Cada pessoa possui paixões e hobby. A leitura é uma de suas paixões? Como ela teve início na sua vida?

Paula: Com certeza a leitura é uma das minhas maiores paixões. Nunca fico sem ter um “livro em andamento”, levo na bolsa pra onde quer que eu vá, leio no trânsito, na fila do banco... Livros são sempre ótimas companhias!

 

Desde que aprendi a ler, nunca mais parei. Na verdade, antes mesmo de aprender, minha mãe já lia muito pra mim, então eu já era apaixonada por livros mesmo sem conseguir “decifrá-los”. Logo que aprendi, lembro que eu não me contentava apenas com os livros indicados pela escola, eu passava horas nas seções infantis das livrarias escolhendo histórias e mais histórias. Meus pais nunca me negaram livros, eles incentivaram desde cedo meu gosto pela leitura.

 

 

Guria: As palavras são um meio de dar forma aos sentimentos. Como a escrita passou a fazer parte de você e o que te motivou a explorar este seu lado?

Paula: Eu sou muito tímida, então desde cedo percebi que eu conseguia me expressar melhor por escrito. A motivação foi a sensação de conseguir liberar meus sentimentos de alguma forma, pois eu meio que “travo” para falar certas coisas, e, ao escrever, essa barreira não existe. Costumo dizer que “eu penso por escrito”, parece que meu cérebro é diretamente ligado às mãos. Pra você ter uma idéia, quando eu preciso discutir alguma coisa com meu namorado, eu ligo pra ele e digo: “Tem um e-mail pra você!”. Por escrito eu consigo explicar muito melhor o que estou sentindo. Além de ser mais bonito e romântico também.

 

 

Guria: O intenso mundo adolescente é uma fase única na vida de cada um. De onde veio o interesse de transformá-lo em livro? Como surgiu o enredo de ‘Fazendo Meu Filme’ e por que a escolha deste título?

Paula: A adolescência, em minha opinião, é a fase mais marcante da vida. É quando nossos sentimentos são mais intensos. Ao mesmo tempo em que nos sentimos a pessoa mais feliz do mundo, choramos baldes de lágrimas. Essa época da minha vida foi muito boa, e a minha maior vontade era de poder ter filmado cada um dos momentos para poder revê-los! Como isso não é possível, resolvi escrever. No começo, tirei muita coisa da minha própria vida para colocar no livro 1. A experiência do intercâmbio, a paixão pelo melhor amigo, pelo professor, as duas melhores amigas, os bilhetinhos... tudo foi inspirado na minha própria história, embora eu não tenha vivenciado esses acontecimentos da mesma forma que a Fani. Aos poucos, fui dando outro rumo para o livro, fui desvinculando a história da Fani da minha, e, de repente, deixou de ser a minha vida e se transformou na dela.

 

Foi a minha mãe que sugeriu o título “Fazendo meu filme”. Na verdade, o nome original era “O filme da minha vida”, mas o primeiro crítico que leu adorou o livro, porém fez apenas uma ressalva ao nome, ele falou que “O filme da minha vida” não mostrava (nas palavras dele) “a explosão de juventude que o meu livro continha” e – ao contrário - passava a impressão de ser um livro com uma protagonista velha, saudosa... Aí eu comecei a pensar em outros títulos, e então a minha mãe sugeriu “Fazendo meu filme”, pois englobava várias coisas: Além de ser uma gíria atual, ia bem de acordo com a Fani, que tem o sonho de ser cineasta e descobre que a vida dela é o melhor filme que ela poderia fazer. Eu mostrei os dois títulos para o pessoal da editora e eles preferiram “Fazendo meu filme”.

 

 

Guria: Os conflitos adolescentes e as paixões arrebatadoras são o roteiro de ‘Fazendo Meu Filme’ e da vida de muitos jovens. Como você conseguiu transformar uma história fictícia num espelho da vida de muitos leitores? Qual o elemento-chave, em sua opinião, para ‘FMF’ tocar tanto os leitores?

Paula: Acho que adolescência é igual em qualquer época. Como eu disse acima, me inspirei um pouco em coisas que eu vivi, então acredito que, dessa forma, a história tenha ficado muito verossímil e passado a impressão de ser real mesmo. A Fani é uma garota normal, então isso gera uma identificação nos leitores (especialmente nas leitoras), pois a história dela poderia ter acontecido com qualquer um...

 

Quando escrevo, eu realmente me transporto para o mundo de “Fazendo meu filme”, é como se eu estivesse vivendo aquilo tudo naquele momento, já chorei e já ri muito com a Fani, já terminei de escrever alguns capítulos tremendo, já tive dor de cabeça em outros... Eu me doo completamente no momento da escrita. Empresto minhas mãos para escrever a história da Fani e ela me empresta seu coração.

 

 

Guria: Fani, a personagem principal e criadora do seu próprio roteiro, é uma adolescente tímida e sonhadora, que segue a sua vida com tranqüilidade e muita fantasia. Os devaneios de Fani encantam a todos. O que você acredita que atrai tanto em Fani? Como você compõe os seus personagens?

Paula: A Fani é um tipo de garota que não é “maria vai com as outras”, que tem valores, opiniões formadas e que, acima de tudo, respeita seus próprios princípios e vontades, sem vergonha ou medo do que poderiam vir a pensar sobre ela. Além disso, ela é uma jovem de personalidade, que se difere das outras exatamente por valorizar bem mais seu próprio jeito do que o que está “na moda”, e dessa forma, ela acaba se destacando e se tornando uma garota especial. Eu acredito que existem mais Fanis por aí do que imaginamos, pois são inúmeros os e-mails e scraps que recebo de leitoras me contando que se identificaram muito com ela, que sentem como se eu tivesse colocado a própria vida delas no papel…

 

Eu peguei algumas características de pessoas que eu conheço e inseri nos personagens, mas não todas. A Fani se parece um pouquinho comigo, especialmente na timidez, no jeito sonhador, na introversão… A Gabi é um “mix” de várias amigas minhas, o Leo se parece um pouco com o meu melhor amigo de adolescência, que tinha mania de gravar músicas pra dar de presente… Mas realmente são apenas pequenos detalhes que eu incluí nos personagens, a maior parte da personalidade deles foi aparecendo no momento da escrita.

 

 

Guria: A história do livro constantemente cruza com o universo cinematográfico, que aos poucos ganha maior foco nos livros devido à paixão de Fani por filmes. De onde veio esta inspiração? Foi fruto de pesquisas ou alguma razão pessoal? Qual a forma de seleção das citações de filmes apresentadas no livro e porque você resolveu utilizá-las?

Paula: Sou apaixonada por cinema! Acho que a gente deve escrever sobre o que gosta e conhece, para convencer, passar veracidade... do contrário, a história acaba soando falsa. Amo todos os filmes citados no livro. A escolha de cada um deles foi a partir do meu gosto, mas de acordo com a história.

 

Inicialmente, o livro não tinha os trechos que abrem os capítulos. Quando eu já tinha passado da metade do livro 1, acordei em uma noite no meio da madrugada com essa idéia. Acho que eu estava sonhando com o livro e acordei com isso na cabeça. Eu percebi que tinha uma forma de explorar bem melhor a paixão da Fani por cinema. Como eu já tinha mania de colocar citações para abrir as minhas crônicas (nessa época eu era colunista de um site de crônicas), resolvi fazer isso no livro também. E acho que deu um toque todo especial nos capítulos.

 

A escolha das citações é difícil, mas também uma das partes que eu mais gosto, pois tenho que rever vários filmes lindos... Escolho só quando termino os livros. Aí volto lá na frente, leio novamente o capítulo e começo a procurar uma citação que combine. O complicado é quando alguma citação cabe perfeitamente em vários capítulos ou várias citações se encaixam em um determinado capítulo! Realmente é uma escolha muito complicada, especialmente pra uma pessoa tão indecisa como eu! :)

 

 

Guria: ‘Fazendo Meu Filme’ possui três volumes publicados e o final desta saga está previsto para este ano. Para quem não leu os volumes seguintes, o que pode esperar de Fani, Leo e sua turma? E para o desfecho, podemos esperar um final feliz digno de contos de fadas?

Paula: A Fani amadurece muito durante a série. No livro 1, ela é bem menininha, superprotegida pela família e amigas, tímida, vive no mundinho dela... A partir do livro 2, ela começa a ter que caminhar por ela mesma. No intercâmbio, ela percebe que as decisões que ela toma podem afetar completamente a sua vida e isso a faz amadurecer muito. No livro 3, ela precisa crescer ainda mais. Eu considero o livro 3 uma transição da Fani adolescente para a Fani adulta, claro que ela não perde o jeito “Fani” de ser, mas ela se “joga” muito mais, vai atrás do que acredita e realmente começa o livro de um jeito e termina de outro.

 

A Fani certamente terá o seu merecido “happy end” no livro 4. Mas vocês vão ter que esperar um pouquinho para saber com “quem” será esse final feliz...

 

 

Guria: Seu trabalho como escritora é muito bem reconhecido e acabou gerando uma comparação com a aclamada autora Meg Cabot. Como você encara esta comparação e o carinho dos leitores? Assim como Meg, você pensa em lançar diversos livros e fazer novos projetos?

Paula: Eu me sinto muito honrada com essa comparação, pois a Meg é minha maior influência, já li tudo o que ela publicou e sem dúvidas ela é minha escritora preferida. Talvez seja por isso que o estilo dela tenha ficado inerente ao meu jeito de escrever. Acho que quando a gente lê demais os livros de um certo autor, acaba pegando um pouco do jeito dele… Mas eu considero a Meg incomparável…

 

Além de “Fazendo meu filme 4”, estou escrevendo o primeiro livro da minha nova série, que será lançado ainda esse ano. Essa série terá como protagonista uma das personagens secundárias de Fazendo meu filme, e eu espero que vocês fiquem tão apaixonados por ela como eu já estou! Além disso, tenho planos de escrever um livro com um protagonista masculino, para que os meninos parem de achar que os meus livros são só para garotas! Ah, e também já tenho uma idéia para uma história com uma protagonista mais adulta.

 

 

Guria: Se você pudesse escrever sua vida em um roteiro, de qual filme seria? E para o que você daria cinco estrelinhas?

Paula: Eu adoro “De repente 30”! Eu gostaria de viver aquele roteiro! Sem dúvidas dou cinco estrelinhas para esse filme!

 

 

Proseando...

  • Literatura é: Vida
  • Quando escrevo: Sonho
  • Livros são: Mágicos
  • O que mais me inspira: Amor
  • Fecho o livro para: Dormir
  • Vai para a cabeceira: “Fazendo meu filme 4”
  • Estou folheando: “Spirit Bound” (Richelle Mead)
  • Quero na minha estante: “Last Sacrifice” (Richelle Mead)
  • Admiro as palavras de Martha Medeiros
  • O gênero literário que mais me empolga: Chick Lit
  • Um livro: “Griffin e Sabine” (Nick Bantock)
  • Um personagem: Fani (Fazendo meu filme)
  • Um(a) autor(a): Meg Cabot
  • Uma citação: "Aprendi que a felicidade é uma opção. Ela mora em todo lugar. Basta que a gente permita que ela nos faça companhia." Fazendo Meu Filme 2
  • Tenho o sonho de: Continuar a ter inspiração para escrever cada vez mais livros e ter também cada vez mais leitores.
  • Fazendo Meu Filme é para mim: A realização de um sonho.

 

Aproveite o espaço para dizer o que você deseja aos seus leitores:

Primeiramente gostaria de agradecer por todo carinho que tenho recebido dos leitores, por todos os e-mails, scraps no orkut, recados no twitter... esse retorno é tão importante que vocês nem imaginam! E quero convidar a todos para acompanharem o blog “Fazendo meu filme”, pois é lá que eu conto todas as novidades: http://blogfazendomeufilme.blogspot.com/

 

 

 

*-*-*-*

 

Que honra contar com a presença da Paula no Guria. Paula, não tenho palavras para agradecer todo o seu carinho. Muito obrigada por se dispor a participar da seção, e ser sempre tão atenciosa e simpática. Como já disse anteriormente, FMF entrou no meu Top Livros!

 

Espero que tenham curtido tanto quanto eu esta entrevista. A Paula é uma fofa! E minha dica de hoje é: leiam urgentemente Fazendo Meu Filme, tenho certeza que irão se encantar!

 

Até a próxima edição! =**

20 comentários:

£ädÿ disse... [Responder comentário]

eu admiro muito a Paula, não só pelo talento, mas pela garra e pela humildade. ela merece tudo o que conquistou e é uma fofa, adoro bater papo com ela quase tanto qnto adoro ler o que ela escreve hehehehe

paros28 disse... [Responder comentário]

Frase do Boteco da Pati: "Porque o coração não é local, e sim regional" kkkkkkkkkk

Adorei a entrevista, a autora é muito simpática, e no próximo mês já estou comprando o kit Fazendo Meu Filme, a Rê já tinha me falado agora me convenceu total

Mellory Ferraz disse... [Responder comentário]

Estou LOUCA por FMF 3! E quatro, JÁ HAHAHA
Enfim, eu adoro a Paula. Podemos nos identificar muito com ela, pois ainda possui muitas características adolescentes, mesmo sendo adulta já.
Também adoro a Martha Medeiros. Isso me alegrou muito de saber! *-*
Adorei o post, incrível, Rê!
Beijinhos xx

NikaSanc disse... [Responder comentário]

Caramba, que legal!
Muito bacana a sua iniciativa, adorei *_*

Beijos [-=S

Caio Francisco disse... [Responder comentário]

Adorei a Entrevista Rê...ainda não li nenhum livro da Paula...!Mas com certeza lerei! ;D
--
Caio Francisco
http://www.leia-1-livro.blogspot.com/
http://www.neragnarok.blogspot.com/

Mika disse... [Responder comentário]

cara, que lindo *_*
adorei a entrevista, mesmo não terminando de ler (mas eu volto, estou na casa de uma prima).
Ela parece ser MUITO sonhadora e adorei as respostas rapidas ai.
Discordo dela em aloguns pontos...ahauhauah... "De Repente 30", cinco estrelas? kkkkk... ta, eu sou chata mesmo =p tem tantos filminhos bestas OTIMO. se é que vc me entende.
Enfim, o importante é que eu realmente amei vc ter feito essa entrevista, vc escreve muito bem e fez otimas questoes. Não senti muita verdade em algumas respostas, mas pra que eu dizer isso? uu' o fato, é que senti ainda mais vontade de ler esse livro. Nao quero me empolgar, mas ja estou sentindo empatia com ele, falou em filme eu me apaixono.
Acho que vc odeia comentarios lonhos, ne? =/ então... depois a gente conversa.
beijos

Thwin_BDB Fotos e Livros Twilight VA disse... [Responder comentário]

Rê, eu amei! Você arrasou nas perguntas, muito criativas e com muita propriedade sobre os livros.
Eu amo a Paulinha e FMF... até pareço uma adolescente sendo tão fã da série.
Parabéns por esta sessão tão maravilhosa e por esta entrevista com a Paulinha!
Beijos!

Juh** disse... [Responder comentário]

Guria que entrevista fofa!!
A Paula é uma das autoras nacionais mais queridas!!
beijocas enormes para as duas!
Livros e blablabla

DeFatto! disse... [Responder comentário]

Muito legal esse Prateleira Nacial, Rê ;D
A Paula Pimenta é muito fofa, né?

Beijos,
Zoe
Três Lápis

Wallace Carvalho disse... [Responder comentário]

Amei a entrevista! ^.^
Rê tem uns selinhos pra você lá no Livros & Caprichos. Pega lá! ;)
Beijos
http://livrosecaprichos.blogspot.com/

Débora disse... [Responder comentário]

Q fofa q a Paula é! Adorei!
Bjos
http://introducingyouabook.blogspot.com/

Danne disse... [Responder comentário]

Que fofa gente *_*
Ela é tímica... quem diria...
Eu também prefiro escrever a falar... mas não cheguei a fase de escrever um livro IOAHEIHOAEHIEAOHIEAO

De repente 30 é realmente um filme MUITO bom :D também adoro!

Mireliinha disse... [Responder comentário]

AWN, que fofa! Ela é sempre tão simpática, não é?!
Parabéns por mais um post super interessante, migs!

:*

Gisele! =D disse... [Responder comentário]

Amei a entrevista muito interessante já li os três livros milhares de vezes
Também tenho um blog sobre livros e já falei sobre a Paula no blog várias vezes passa lá pra ver

www.bookssweetbooks.blogspot.com
beijinhos

Gabrielle disse... [Responder comentário]

Gente, adorei esse intrevista e autora parece uma pessoa super simpatica. Vou ver se consigo ir no dia que vai esta na bienal =)Adoro pegar autografos e vou gostar de conhecer ela. Ela me parece muito fofa!

Ana Beatriz Magalhães disse... [Responder comentário]

Adorei o "Proseando"
ela é também fã de Vampire Academy. adorei =)
e olha aí, a própia se disse fã da meg cabo, daí porque muita gente diz que ela lembra a MEG, deve ter sido influenciada

Mariana Bandeira disse... [Responder comentário]

Estou apaixonada pela escrita de Paula Pimenta e ela também é muito fofa e linda. *-*

IlanaPrudente disse... [Responder comentário]

Muito interessante a história dela. Ela é muito cativante!

Paulo Roberto disse... [Responder comentário]

Estou concorrendo os 2 livros!

rafersom disse... [Responder comentário]

eitaa menina adorei essa prateleira... queria ela grudada na minha estante

Postar um comentário

 
Guria que lê © 2010 | Desenvolvido por Chica Blogger | Voltar para o topo