O Pequeno Príncipe – Antoine de Saint-Exupéry

 

desafioliterario2011

 Iniciando o Desafio Literário 2011 com um livro de grande “impacto”. Espero fazer jus a sua boa reputação com as minhas palavras! Tema do mês de janeiro: Literatura Infanto-Juvenil!

 

 

o_pequeno_principe1

 

 

 

 

“As pessoas grandes não compreendem nada sozinhas, e é cansativo, para as crianças, estar toda hora explicando.”

Pequeno Príncipe, página 10

 

 

 

 

Era uma vez, um garoto desencorajado dos seus sonhos pelas pessoas grandes. Eles não eram capazes de entender o que a sua ingenuidade de criança procurava refletir através dos dois únicos desenhos que fez em vida: uma jibóia fechada e uma jibóia aberta. Mas este garoto cresceu e se tornou um aviador, deixando pelas nuvens seus sonhos de infância. Numa de suas viagens, o avião sofre uma pane e ele é forçado a realizar um pouso de emergência no meio do deserto. Fadado há esperar o dia amanhecer, o garoto – agora crescido – descansa nas macias areias em meio à solidão total.

 

Ao acordar, o jovem se depara com um pequenino menino, que lhe solicita um singelo desenho de um “carneiro”. Em meio aos rabiscos por uma obra peculiar e agradável aos olhos do menino, o jovem conhece as proezas de um tal de Pequeno Príncipe...

 

O Pequeno Príncipe é um menino solitário, que habita um planeta do tamanho de uma casa. Nele só existem três vulcões e uma bela – e orgulhosa – rosa. A rosa se considerava única e perfeita, e fez o Pequeno Príncipe se apaixonar por ela, mas teve seu amor despedaçado pelo orgulho que dela emanava. E assim, o Pequeno Príncipe resolveu partir atrás de algo a mais... a procura de um amigo.

 

Ele atravessa inúmeros planetas, mas não encontra o que procura. Depara-se com planetas habitados por seres peculiares, como um rei, um vaidoso, um bêbado, um contador, um lampião e seu acendedor, um geógrafo... e finalmente, chega à Terra. Neste planeta, ele encontra uma serpente, uma raposa e um garoto. E é pelos caminhos da Terra que o Pequeno Príncipe encontra o que precisa para se ter um amigo.

 

E são nas fantasias e sonhos de uma criança, que as verdadeiras questões da vida são abordadas, com muita pureza e ingenuidade.

 

 

“- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cative-me!”

Pequeno Príncipe, página 70

 

 

O Pequeno Príncipe é um livro filosófico enraizado num conto “infantil”. Não diria que é um livro destinado as crianças, mas uma abordagem fantasiosa de seu universo diretamente relacionada ao lado infantil que existe dentro das pessoas grandes. É um grande questionamento das escolhas que um “adulto” toma ao perder a inocência e a pureza da infância, que enxergava por meio da fantasia, o que havia de mais belo nos seres: o amor e a amizade.

 

Saint-Exupéry consegue sensibilizar o leitor com uma apresentação poética de um conto singelo, preocupando-se em tocar com suas palavras os laços que nos tornam humanos e transbordam nossas emoções. É uma fábula clássica para questionar os valores que realmente empregamos à amizade e ao companheirismo, resgatando dentro de nós, o que foi acomodado por falta de esperança. Uma perspectiva de reativar lembranças e desejos acumulados no fundo da alma pelas preocupações modernas... uma forma de se reencontrar com a criança que existe dentro de si. Uma ruptura entre querer ser uma “pessoa grande”e querer viver sob as fantasias de um príncipe que sonhava com seu castelo e seu conto de fadas. Ou seja, um encontro com o que há de mais puro em si!

 

O simbolismo dos personagens aprimora as metáforas empregadas. Um bêbado que bebe por vergonha de beber... um rei que deseja súditos para mandar e exercer seu poder... e uma raposa, que deseja cativar-se e criar laços com um pequeno principezinho. A raposa que ensina a verdadeira essência da amizade ao pequeno.

 

 

“Se tu vens, por exemplo, às quatro horas da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz.”

Pequeno Príncipe, página 71

 

 

O Pequeno Príncipe prega valores e transmite lições para repensar a vida. Por meio de metáforas e mensagens “subliminares”, o livro busca contornar os caminhos da solidão e direcionar o rumo certo para o essencial a vida. É um enigma que o leitor deve descobrir e capaz de transformar-se ao decifrá-lo. Um livro para repensar e reaprender, para transformar e discernir o que é essencial a cada um.

 

Um clássico literário capaz de transformar as pessoas pela simplicidade de palavras, mas profundidade de sentimentos. Deixo o segredo de Saint-Exupéry nos sonhos mais íntimos de um pequeno ser em se sentir “unido”...

 

 

“Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.”

Pequeno Príncipe, página 74

 

 

Momento desabafo: confesso que comecei a ler este livro como uma pessoa grande, demorei a assimilar a simplicidade e a adequação que Saint-Exupéry fez uso ao criar um clássico infantil nem um pouco infantil. É notório que o livro deve ser lido pelos adultos, afinal, ele é inteiramente destinado a eles, destinado a aflorar o que há de criança em nós. Mas com o desenrolar da leitura, percebi que não quero ser um cogumelo (citação: “Mas ele não é um homem; é um cogumelo!”, página 29) e quero muito encontrar uma raposa na minha vida, a quem possa cativar! Quero criar laços com aqueles que me cativam... e por si só, a leitura já valeu a pena. Agora, finalmente entendo, porque o Pequeno Príncipe é filosofia de vida e leitura imprescindível... afinal, há onde mais pode-se encontrar a pureza de sentimentos se não nos sonhos e fantasias de uma criança que vive num “conto de fadas” próprio? Não é preciso explorar outros planetas para descobrir que o essencial ao coração encontra-se ao lado! Basta ter vontade de enxergá-lo. Eu quero, e você?

 

 

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

Pequeno Príncipe, página 74

 

 

 

 

Título Original: Le Petit Prince

Título Nacional: O Pequeno Príncipe

Autor: Antoine de Saint-Exupéry

Ano de Lançamento: 1982 – 24ª edição

Número de Páginas: 98 páginas

Editora: Agir

Sinopse: À primeira vista, um livro para crianças. Na definição de Antoine Saint-Exupéry, seu autor, "um livro urgentíssimo para adultos", o que talvez explique a extraordinária sobrevivência literária de O pequeno príncipe.

Publicado pela primeira vez em 1943 na Nova York em que foi escrito e, no ano seguinte, na França, o livro chegou à AGIR com o componente de acaso que, em geral, cerca a edição de fenômenos editoriais, já que a obra havia sido comprada por outra tradicional editora brasileira, que desistiu da publicação. Traduzida primorosamente por D. Marcos Barbosa, a versão brasileira chegou à livrarias em 1952, tendo vendido desde então mais de 4 milhões de exemplares.

Le Petit Prince, The Little Prince, El Principito, Der Kleine Prinz - em qualquer uma das mais de 150 línguas em que é publicado, causa encanto a história do piloto cujo avião cai no deserto do Saara, onde ele encontra um príncipe, "um pedacinho de gente inteiramente extraordinário" que o leva a uma jornada filosófica e poética através de planetas que encerram a solidão humana em personagens como o vaidoso, capaz de ouvir apenas elogios; o acendedor de lampiões, fiel ao regulamento; o bêbado, que bebia por ter vergonha de beber; o homem de negócios que possuía as estrelas contando-as e econtando-as em ambição inútil e desenfreada; a serpente enigmática; a flor a qual amava acima de todos os planetas.

 

Minha avaliação:

«««««

32 comentários:

Du disse... [Responder comentário]

c'est le temps que tu as perdu pour ta rose qui fait ta rose si importante”

Como é sábia e astuta a pequena raposa. É o tempo que passamos com as pessoas que faz com que os laços se estreitem, ou, se alarguem de vez. É necessário cativar e ser cativo. Certamente precisamos de mais homens como “seu Pery”. Aliás, acredito que ele fiaria feliz recebendo uma critica dessas.
Já li, caso não o tivesse feito, certamente o faria pela resenha.
Parabéns Guria!

Vulcka disse... [Responder comentário]

E que livro! Queria ter lido ele na minha infância.

Maryzlane Sarah disse... [Responder comentário]

Ai amooo esse livro, desde sei lá, me entendo por gente, acho que todo mundo devia ler e aprender a serem pessoas melhores e mais preocupadas com os outros e não apenas com eles proprios. *-*

This Gomez disse... [Responder comentário]

Confesso que já li este livro duas vezes e ainda me confundo com a história. Mas algumas das mensagens que Exupéry passa são muito interessantes. Acredito que você citou todas na resenha =)

Eu acho o livro muito fofo, mas gostaria de entendê-lo um pouco melhor. Talvez na 3ª leitura hehe

bjos Rê

Gabriel Arruda Burani disse... [Responder comentário]

Embora tenha sido difícil a escrita, ficou magnifica a resenha! Acho que lerei o Pequeno Principe, mesmo.

Beijao

Fabiano "BALOO" Santos disse... [Responder comentário]

Eu sabia que essa resenha ia ser um sucesso!
A leitura do Pequeno Príncipe é algo inexplicável. Cada um tem suas próprias experiências. ( 'Tá bom, eu sei que toda leitura é assim, mas o PP é algo especial pra mim... hehehehe).
Eu já vi o filme, vi o teatro... são bons! Mas a leitura do livro do Pequeno Príncipe é instigante.
Tenho um carinho enorme por esse livro. Foi lido para mim e depois eu mesmo li na infância, li na adolescência e na minha vida adulta li mas 3 vezes. E todas foram momentos especiais e de aprendizagem, muuuuuuuuuuuuuita aprendizagem.
E sua resenha me trouxe as emoções de volta... Obrigado por me fazer "despertar" para os ensinamentos que já começavam a se tornar distantes para mim...
senti vontade de ler novamente o Pequeno Príncipe... e vou ler.
Obrigado por me instigar mais uma vez a aprender.

Ah... e você é boa resenhista, tá????
Parabéns!



LEIAMOS!

£ädÿ disse... [Responder comentário]

eu nunca tive muito saco pra ler Pequeno Príncipe, embora seja um clássico e tenha uma história bastante interessante. Simplesmente a idéia de uma criança boazinha é tão chatinha que eu nunca passei dos primeiros capítulos. Mas é quase um desafio pessoal que eu me propus terminar de lê-lo algum dia :P ainda chego lá XP
beijocas

paros28 disse... [Responder comentário]

Os meus pais compraram esse livro achando que era infantil quando eu tinho 7 anos, lembro da minha mãe o lendo pra mim, não assimilei nada, qdo ela começou a ler foi notar que não era tão infantil... mas ela guardou o livro e eu li novamente com 18 anos perdido entre os livros. Posso dizer que a linguagem simples, e diz tanto nas entrelinhas, e a história da criança que na verdade é um adulto chatinho kkkkk

Linda a resenha Rê

Nanda Meireles disse... [Responder comentário]

Esse livro marcou minha adolescência! amo de paixão e sua resenha ficou um máximo.
Beijo!

Claudinha Teles disse... [Responder comentário]

Li esse livro ano passado e apaixonei, claro! Será que existe alguém nesse mundo que não goste? oO Duvido! *-----*


Beijos

Juh** disse... [Responder comentário]

Oi Guria!!
Esse livro marcou minha infância!! Comecei a ler muuuito cedo e ele foi um dos primeiros!!
Adorei a resenha!!
beijocas enormes
Livros e blablabla

Miin Trindade disse... [Responder comentário]

A cada vez que li esse livro ele tinha mais a me ensinar. É um livro maravilhoso, emocionante.
E eu fico feliz de saber que já encontrei raposinhas para cativar durante minha vida, e já fui a 'raposa' dos outros :D
É um livro maravilhoso, significa muito pra mim...
Parabéns, Re, resenha muito boa!

Beijos

Gilmarzinho disse... [Responder comentário]

Um dos melhores livros que já li.
É um dos que eu chamo "obrigatórios".
Muito incomodei os amigos para lerem, e vou continuar incomodando até todo mundo ler! hehhehe

Muito obrigado por relembrar este obra de arte que nos ensina com tanta ternura a não deixar para trás a nossa alma de criança.

Acho que vou até aproveitar as férias para ler de novo. Uhú!

Té.

luciane_rangel disse... [Responder comentário]

Ain, que coisa linda!
Ok, Re, agora você me convenceu completamente a ler o Pequeno Prícipe! rs Já tinha vontade de ler, mas sempre ia deixando pra lá... Mas agora estou determinada rs

Linda a sua resenha, parabéns! Adorei! *-*

Bjos, querida!

Mellory Ferraz disse... [Responder comentário]

Acho muito fofas as citações do livro, mas já tentei ler quando pequenina, e não gostei da narrativa :(
Adorei sua resenha, Re, super completa!
Beijinhos xx

'Dani disse... [Responder comentário]

Nossa! Só me deixou mais curiosa pelo livro!
*confesso, nunca li >.<*

Mas vou ler logo! Depois dessa resenha, pulo VÁRIOS livros da lista! =)

=*

Nine Stecanella disse... [Responder comentário]

Li esse livro em dezembro. Demorei muito pra entender a moral da história mas depois entendi o ponto que ele quis chegar!

:)

Vivi disse... [Responder comentário]

È um livro que se lido e relido nos trará mensagens diversas. Excelente participação!

Mireliinha disse... [Responder comentário]

Amiga, você só melhora!
Parabéns de verdade!
Sua resenha foi linda, repleta de muito sentimento!

Agora, eu vou ler o Pequeno Príncipe!


beijos

Karine Marinho disse... [Responder comentário]

Esse é o livro mais fofo que eu li na minha vida :D É incrivel eu acho que é um livro obrigatório pra ser lido, por quem gosta, ou não (pessoa sem noção) de ler.
Beijinhos,K.
Girl Spoiled

Nathi disse... [Responder comentário]

#vergonha Ainda não li esse livro, mas ainda dá tempo...
Agora com essa resenha linda dá mais vontade aind de ler. =]
Kisses!!!

Letícia Santos disse... [Responder comentário]

PRECISO ler esse livro, mas sabe como é, fico passando vários na frente. Agora você me convenceu *-*

EricaMarts disse... [Responder comentário]

Eu tenho esse livro mas ainda não li.
Confesso que eu não enxergava tantas coisas em um livro tão finho.
Em breve vou lê-lo e reparar nas coisas que você falou.

Bye

KaahCullen_ disse... [Responder comentário]

eu nunca li =/
mas ja ouvi falae , e muiito

Larissa, Lara, Lalá, .... disse... [Responder comentário]

Esse e' um,ivro que deve ser lido!!! Boa escolha. Beijos

Roberta Costa disse... [Responder comentário]

Ótima escolha.

bjs

disse... [Responder comentário]

Parabéns pela resenha.
O pequenino príncipe com grande sabedoria que até hoje consegue nos emocionar, motivar, instigar.
Para ser lido hoje e sempre!
Abs, Rê

bibs disse... [Responder comentário]

sua resenha é ótima! adorei! faz um tempão que li o pequeno príncipe, e me deu saudades! assim que der lerei novamente.

Kézia Lôbo disse... [Responder comentário]

Clássico que preciso ler o mais breve possivel!

Izabela disse... [Responder comentário]

Uma bela resenha para uma bonita escolha! Parabéns...

Abraços, Iza

Mahzinha disse... [Responder comentário]

Well, eu ainda nao li este livro e ele com certeza esta na lista, adorei sua resenha!! Obrigada.
Beijocas

Liz Bianca disse... [Responder comentário]

Sempre tive vontade de ler esse livro, porque li um trecho dele na escola, não entendia o significado da palavra cativar de jeito nenhum, devia ter uns 11 anos... Enfim, comprei há pouco tempo e vi que realmente não é um livro infantil, inclusive fiquei muito triste com o final, chorei e tudo...

Postar um comentário

 
Guria que lê © 2010 | Desenvolvido por Chica Blogger | Voltar para o topo